Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-01-2007

SECÇÃO: Região

Autarquia reuniu imigrantes em jantar convívio

Joaquim Barreto explicou o funcionamento dos órgãos do Município
Joaquim Barreto explicou o funcionamento dos órgãos do Município
À semelhança do que vem sucedendo em anos anteriores, a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, promoveu no dia 6 de Janeiro, uma confraternização com os Imigrantes a trabalhar e a residir em Cabeceiras de Basto.
Uma iniciativa da Autarquia, levada a cabo pelo terceiro ano consecutivo, com o objectivo de proporcionar a cerca de três dezenas de imigrantes, momentos de convívio e confraternização, em especial nesta quadra festiva do Ano Novo, especialmente assinalada pela Comunidade de Leste, cujo calendário juliano marcou, uma vez mais, as comemorações natalícias destes cidadãos que residem em Portugal. Também em Cabeceiras de Basto, ucranianos, russos, moldavos, romenos, brasileiros e agora, também chineses assinalaram a efeméride. Um convívio que permitiu nesta data, o encontro de famílias e amigos onde se trocaram experiências de vida e notícias dos seus respectivos países.
O petiz imigrante sentado na cadeira do Presidente da Câmara posou para a fotografia
O petiz imigrante sentado na cadeira do Presidente da Câmara posou para a fotografia
Um gesto revelador do acolhimento e da hospitalidade que caracteriza o povo Cabeceirenses e que foi do agrado de todos os que estiveram presentes neste convívio que pretendem ver repetido no próximo ano.
A trabalhar e a residir no concelho há alguns anos, muitos deles aproveitaram esta ocasião para se conhecer melhor, partilhar as suas experiências e estreitar laços de amizade.


Imigrantes visitaram Paços do Concelho

Era visível a satisfação dos imigrantes presentes na festa
Era visível a satisfação dos imigrantes presentes na festa
Ao jantar de confraternização promovido pela Autarquia Cabeceirense, antecedeu uma visita aos Paços do Concelho, que o autarca, Joaquim Barreto, acompanhou, explicando o funcionamento dos órgãos do Município a esta comunidade, a quem manifestou total disponibilidade para apoiar, seja através da constituição de uma associação, seja através da dinamização de acções de formação de Língua Portuguesa, tendo em vista auxiliar os imigrantes a ultrapassarem os naturais problemas de comunicação, ajudando, desta forma, a compreender e a conhecer melhor o Português e, assim, oferecendo melhores condições de vida a muitos destes estrangeiros que escolheram Portugal para viver e ganhar a vida.
Consciente do percurso que outrora os Portugueses efectuaram pelos quatro cantos do mundo, a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto tem, segundo informação divulgada, lançado e promovido várias acções direccionadas para as comunidades emigradas, pretendendo agora, fomentar também um melhor entendimento entre os imigrantes, provenientes sobretudo de países de Leste aqui radicados e os cabeceirenses.
Imigrantes de vários países unidos no Salão Nobre da Câmara Municipal
Imigrantes de vários países unidos no Salão Nobre da Câmara Municipal
Este processo de conhecimento e de aproximação entre povos permitirá em simultâneo, promover a cultura e a história de Portugal e dar a conhecer os usos e costumes deste povo.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.