Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-12-2006

SECÇÃO: Região

ORÇAMENTO DE RIGOR PARA 2007
Equilíbrio das contas traz vantagens ao Município

Tendo como base uma postura de rigor e de transparência, o Orçamento do Município de Cabeceiras de Basto para 2007, aprovado pela Câmara na sua última sessão, atinge uma verba global de 17,2 milhões de euros, dinheiro que será destinado à gestão corrente da autarquia, a investimentos e iniciativas que destacamos em texto separado.
Apesar das fortes limitações impostas pela Administração Central às Autarquias e das reduzidas receitas próprias, o orçamento para 2007 espelha com nitidez as prioridades do executivo municipal, de acordo com as novas realidades sócio-económicas, culturais e políticas que têm acolhimento em projectos e ideias inovadoras, destinadas a aprofundar e a potenciar o grau de desenvolvimento já atingido por Cabeceiras de Basto.
As receitas correntes são no valor de 7.014.538 euros, correspondente às transferências dos Fundos de Equilíbrio Financeiro, Social Municipal e do IRS e ainda às transferências da DREN para os transportes escolares, refeições, prolongamento de horários e actividades de enriquecimento curricular, atingindo 40,9% do total da receita.
As receitas de capital são estimadas em 10.148.353 euros e provêm dos financiamentos dos Fundos Comunitários, das transferências do Governo e da renda de bens próprios, representando 59,1% desta rubrica.
Nas despesas correntes a previsão é de 6.871.674 euros atingindo 40 por cento das despesas gerais, verba esta que se destina às despesas com o pessoal à atribuição de subsídios às instituições, associações e Juntas de Freguesia e às transferências para a empresa municipal EMUNIBASTO a quem foram aumentadas as suas competências em matéria de educação e ainda à aquisição de serviços.
Quanto às despesas de capital o valor estimado é de 10.291.244 euros com um peso de 60 por cento no global e que tem como grande meta os investimentos municipais que chegam aos 50 por cento daquele valor.
Com as contas equilibradas e a situação financeira controlada, mercê de uma gestão criteriosa e de grande exigência, a que se junta uma optimização dos recursos notável, a Câmara de Cabeceiras de Basto continua a ter o seu orçamento de boa saúde, o que lhe permite, conforme o exigem as normas estabelecidas pelo Ministério da tutela, dispõe de uma margem de endividamento assinalável. Assim, para 2007 o Município Cabeceirense pode recorrer a empréstimos na ordem dos 849 mil euros, prevendo-se no documento disponibilizar 637 mil euros para amortizações de empréstimos de médio e longo prazo e 212 mil euros destinados a pagamentos de juros.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.