Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 30-11-2006

SECÇÃO: Opinião

Natal = Corrida às Prendas

foto
Há muito que as montras das lojas nos fazem lembrar que estamos a entrar na quadra natalícia, quadra esta que assume grande importância para os crentes na religião, caso contrário não é mais do que uma mera data festiva em que se troca prendas no seio familiar.
No entanto, é mais do que criticado o pensamento consumista que, nestes últimos anos, as pessoas assumiram nesta época. Até parece que nada mais é importante do que comprar o tão tradicional bacalhau e as prendas, fazendo os possíveis para não esquecer ninguém e comprar sempre o que está na moda. Claro que enquanto observadora da sociedade é irresistível criticar tal pensamento, por um lado porque quebra a magia do Natal assim como o verdadeiro significado que o mesmo tem.
Mal passa o dia 1 de Novembro para ver bolinhas aqui, estrelinhas acolá, enfeites por todo o lado, publicidade irritante aos brinquedos na televisão, a verdadeira competição e consumismo puro. Contudo, até se compreende a atitude dos comerciantes, é o tudo ou nada, tem que se chamar a atenção dos clientes para que encha o carrinho na sua loja, mas não há-de demorar muito para ver a decoração do Natal a ser colocada logo após a retirada da iluminação da Festa de S. Miguel.
Nesta corrida louca às lojas para a compra das dezenas de prendas consideradas como “indispensáveis”, questiono-me: “mas não estamos num período de crise?”, bem pelos vistos não, pois durante todo o ano vê-se e ouve-se manifestações das várias classes trabalhadoras a protestar a situação do país, esta ou aquela lei do conjunto “apertar o cinto”, mas o que é certo é que as lojas estão sempre cheias, as vendas sobem e as prioridades da lista do Pai Natal não decrescem…algo está errado!
O consumismo destruiu a magia do Natal, para os adultos claro, pois as crianças (cada vez mais com menor idade) são induzidas para o reino do Pai Natal, dos desenhos animados, dos seres mágicos, de quem recebe prenda são apenas as crianças que durante o ano se portam bem (mas onde é que já ouvi isto???). Rapidamente deixamos de ver imagens alusivas ao nascimento do Jesus Cristo, que pelos vistos também não nasceu neste mês, mas é devido a este acontecimento que se adaptou a Festa Pagã e mais tarde a imagem do Pai Natal, que na minha visão em nada é parecido com a imagem que tenho de Jesus Cristo, mas enfim…
Resta-me alertar para outras coisas tão mais importantes do que algo material que com o uso se estraga, parte, destrói, falo do carinho, do gesto amigo, da comemoração em família, da reunião com aqueles que não vemos muitas vezes. Daqueles sentimentos que alimentam mais do que o bacalhau em si, do que aquela prenda de marca da moda que nos torna mais vaidosos, algo que com a agitação do quotidiano nos esquecemos ao longo do ano. Torne este Natal diferente…distribua amor, alegria e carinho…certamente o retorno será muito mais agradável.
Desejo a todos uma óptima quadra festiva, recheada de tudo o quanto desejam…

Por: Sílvia Machado

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.