Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-10-2006

SECÇÃO: Golpe de vista

Sem futuro

Não lhe auguro grande futuro. Na verdade, a fórmula já foi usada por muitos outros e não deu certo. Jornais locais, regionais e até nacionais que se dedicaram à maledicência e à calúnia depressa fecharam portas. A má-língua vende enquanto os leitores não se cansam. Se, para atingir os seus objectivos, o editor, o pai do editor, os amigos do editor, se lançam numa cruzada contra aqueles que os leitores admiram e respeitam, porque têm obra feita, depressa os seus textos deixarão de ser lidos. E até os anunciantes, comerciantes, industriais e outros, deixarão de querer ver as suas empresas associadas a um pasquim que se limita a encher as suas páginas de chorrilhos de inverdades. A ânsia de atingir determinados objectivos leva-os a disparar em todas as direcções, mas o alvo é sempre o mesmo, o que denota naturalmente grande desorientação. E nem é preciso referir aqui o seu nome, porque o leitor já o identificou. Estou convencido que a sua firmeza, a sua determinação, a sua coragem, a sua vontade, hão-de provocar que as “balas” façam ricochete e os atingidos acabem por ser os próprios cronistas. Veremos num futuro próximo.

A. C.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.