Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-07-2006

SECÇÃO: Região

Arco de Baúlhe ergue o pau da bandeira

Arco de Baúlhe promoveu mais uma vez, uma manifestação popular muito antiga, anunciadora das festas em honra da N.S. dos Remédios, que têm lugar, nesta vila, no primeiro fim-de-semana de Setembro.

Os trajes tradicionais guardados nos baús de algumas famílias do Arco de Baúlhe foram a grande atracção do cortejo anunciador
Os trajes tradicionais guardados nos baús de algumas famílias do Arco de Baúlhe foram a grande atracção do cortejo anunciador
O erguer do pau da bandeira consta de um cortejo etnográfico onde se incorporam homens e mulheres vestindo os melhores trajes regionais usados no Minho pelas pessoas ligadas às actividades agrícolas. Carros de bois engalanados transportando os géneros e as prendas para posterior leilão e ainda um grande pau longilíneo, geralmente eucalipto no topo do qual é colocada um enorme bandeira com as cores das arumas da terra.
Apesar da escassez actual de gado bovino de trabalho e dos poucos carros puxados por estes animais, a Comissão de Festas de N.S. dos Remédios conseguiu pôr de pé um cortejo vistoso e colorido, muito apreciado pelo numeroso público que desceu à rua para presenciar o espectáculo.
O cortejo, que percorreu parte da Av. Cap. Elísio de Azevedo, descendo pela Rua do Arco e Rua da Recheira, terminou o seu trajecto no Largo Justino de Sousa, vulgo Largo da Serra, local onde foi erguido o pau da bandeira e onde se realizou também o leilão de oferendas, actos que culminaram com uma sardinhada bem regada de verde tinto para todo o povo presente.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.