Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 30-06-2006

SECÇÃO: Região

FANTASPORTO em Cabeceiras de Basto

Integrado no âmbito da iniciativa Noites de Verão, que a Câmara Municipal e a empresa Emunibasto estão a levar a efeito, neste concelho, durante os meses de Junho, Julho e Agosto, Cabeceiras de Basto acolheu a exibição de três filmes anteriormente projectados no Festival Internacional de Cinema do Porto – FANTASPORTO.
A “Legião dos Mortos”, “Tráfico de Mulheres” e “A Vingança de Jack” foram os filmes que estiveram aos dispor dos Cabeceirenses no Auditório Municipal Ilídio dos Santos, nos dias 15, 16 e 17 de Junho.
Uma iniciativa que contou com a colaboração do Cinema Noca CRL, entidade que organiza o Festival Internacional de Cinema do Porto, e que, através da projecção dos mencionados filmes trouxe até este espaço cultural algumas dezenas de pessoas, apreciadoras do cinema fantástico e de terror.

A Legião dos Mortos

“A Legião dos Mortos” de Olaf Ittenbach, abriu o ciclo de cinema, numa paródia de horror, que combina todos os melhores clichés do género, num cocktail delirante e demencial. Do filme de adolescentes a caminho da Califórnia, à referência obrigatória aos westerns dos grandes espaços e das cidades fantasmas do mítico oeste americano, sem esquecer uma paixão tórrida entre a rapariga do bar e um dos fugitivos ou o triller de mistério, até a uma Legião de Mortos Vivos, que se preparam para regressar dos seus túmulos, para ajudar o maléfico vilão da história a conquistar o planeta no mais terrível e invencível exército das trevas.

O Tráfico de Mulheres

O “Tráfico de Mulheres”, de Masato Ishioka, foi o segundo filme transmitido e caracteriza-se por ser um dos mais surpreendentes filmes japoneses e seguramente um dos mais controversos. Scoutman aborda de forma explícita e crua, o universo perverso de scoutmen, o nome porque são conhecidos os angariadores de raparigas. Os que as aliciam sem problema em plena rua com falsas promessas de emprego bem remunerados, ou apenas de dinheiro fácil em bares que escondem, afinal, a entrada para o sub mundo da prostituição, dos filmes pornográficos para adultos e da rentável indústria do sexo. Num mundo onde a palavra dinheiro faz milagres, este filme é uma reflexão desencantada sobre uma sociedade rica, mas onde os valores morais estão em crise.

A Vingança de Jack

Por sua vez, “A Vingança de Jack”, de Garth Maxwell, encerrou este ciclo de cinema. Inquietantemente perverso e de extrema violência visual desde a sua brilhante primeira cena, em que uma mulher afectivamente destroçada tem uma emotiva crise de nervos durante uma tempestade, vai construindo um intenso triller sobrenatural e psicológico. Desde esse momento inicial, o tom do filme está definido e o jogo pode começar. A estranha mulher é mãe de duas crianças, Jack e Dora, que vivem ambas experiências traumatizantes na sua infância. Dora é maltratada na escola e Jack é integrado numa família pouco recomendável, sendo continuadamente brutalizado pelo seu novo pai e assediado pelas quatro irmãs adoptivas.
Três filmes, três exemplos do cinema fantástico e de terror a que os amantes do género puderam assistir de forma gratuita neste espaço cultural de Cabeceiras de Basto.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.