Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-04-2006

SECÇÃO: Região

NÃO HÁ IDADE PARA VIAJAR EM SEGURANÇA

foto
Os acidentes rodoviários continuam a ser a primeira causa de morte e incapacidade temporária e permanente de crianças e jovens em Portugal.
São inúmeras as causas! Uma cadeirinha mal colocada, cintos não colocados por esquecimento, crianças à solta e debruçadas sobre os lugares da frente, entretidas a circular à retaguarda num equilíbrio tal que qualquer travagem pode fazer ruir como se de um jogo de dominó se tratasse. Além disso, não nos podemos esquecer do facto de que não circulamos sozinhos, nem é o facto de circularmos a baixa velocidade que evitamos o risco de morte, por melhores condutores que nos consideremos, por mais experiência e cuidadosos que sejamos. O emprevisto está sempre à espreita e numa fracção de segundos lançamos as crianças para a diferença entre a vida e a morte!
É possível reduzir estes risco!!
Está nas nossas mãos e dos pais, que ao mesmo tempo também são condutores, proporcionar às crianças a segurança que elas merecem através de simples gestos, tais como, a utilização de um sistema de retenção apropriado, nomeadamente: cadeirinha, bancos, cinto… seja qual for a velocidade e a distância a percorrer.
Qual o sistema de retenção mais adequado?
Este é proporcional ao tamanho e peso da criança.
As cadeirinhas devem ser usadas em idades inferiores aos 18 meses, pois permitem o transporte correcto e seguro de crianças cujo tamanho impede o uso adequado do cinto de segurança. No entanto, há que ter em atenção que a criança deverá viajar numa cadeirinha própria, com cinto de três pontos, num lugar sem airbag e voltada para traz. Pelo facto de que assim colocadas funcionam como uma carapaça que as envolve, apoiando-lhe as costas, o pescoço e a cabeça de maneira uniforme.
O airbag está concebido para abrir rapidamente, o que acontece violentamente, para amortecer o impacto do corpo de um adulto, quando embate contra uma cadeirinha colocada para a frente ou uma criança ao colo, pode provocar ferimentos graves ou mesmo a morte.
A partir dos 18 meses e até a criança ter cerca de metro e meio o uso de cadeiras de apoio que elevam a criança, permitindo que o cinto de segurança lhe assente confortavelmente sobre o ombro e a bacia, ao mesmo tempo, as costas permanecem numa posição correcta e a existência de apoios laterais, garante a segurança mesmo que a criança adormeça.
Aos seis anos a criança já pode ser sentada, num banco elevatório desde que o cinto seja colocado correctamente na bacia e não sobre a barriga.
Quando atingem o metro e meio (mais ou menos entre os 8 e os 10 anos), então o cinto de segurança do automóvel (sistema de retenção mais conhecido) pode bastar para que a criança viaje segura e confortável. Se então tiver 12 anos, já poderá sentar-se no banco da frente.
Se lhe restar alguma dúvida, sempre pode pedir informações e concelhos no local de compra/venda deste tipo de produto.
Quando adequados ao tamanho e peso da criança, e bem instalados, os sistemas de retenção garantem uma protecção na ordem dos 90%, ou seja, a probabilidade de sobrevivência poderá ser dez vezes superior à de uma criança que viaje solta ou ao colo de um adulto.
Não há desculpas, nem a curta distância, nem a falta de tempo, nem a reduzida velocidade, nem a resistência que muitas vezes os miúdos oferecem ao uso dos sistemas de retenção, há que habitua-los de pequeninos… para além disso, o pai e a mãe de cinto bem colocado, mesmo que sejam apenas cinco minutos entre a casa e a escola, deverá ser um bom exemplo. Pense nisto!

Por: Anabela Rodrigues

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.