Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-03-2006

SECÇÃO: Região

Políticas de Futuro
Conferência sobre Desenvolvimento Rural contou com a presença do Ministro da Agricultura

O “Desenvolvimento Rural, a Agricultura, Pecuária e Floresta” foi mais uma conferência integrada no ciclo “Políticas do Futuro”, que decorreu no Pavilhão Multiusos do Mercado Municipal, no passado dia 24 de Março, com a presença do Ministro da Agricultura, Dr. Jaime Silva.
Esta iniciativa da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto contou com a participação de mais de uma centena de pessoas ligadas ao sector do tema em discussão, autarcas e técnicos municipais.

O Presidente da Câmara, o Ministro da Agricultura e o Deputado Europeu em amena conversa
O Presidente da Câmara, o Ministro da Agricultura e o Deputado Europeu em amena conversa
Abriu a sessão o Presidente da Câmara, Engº. Joaquim Barreto para apresentar o conferencista convidado, Dr. Capoulas Santos, Deputado Europeu do PS e para anunciar a presença do titular da pasta da Agricultura, Pescas e Desenvolvimento Rural que visitou o concelho para apreciar os méritos das jornadas da Semana da Floresta e Cabrito que damos conta ao leitor em separado.

Capoulas Santos elogia Autarquia

Na sua intervenção o Dr. Capoulas Santos fez uma explanação interessante do que têm sido as políticas agrícolas dos últimos anos, dos avanços e recuos que lhe foram impostos por diversos governos, das vitórias e de alguma cedências na frente de Bruxelas onde se decide a PAC – Política Agrícola Comum – e ainda daquilo que defende e que o PS defende para a agricultura portuguesa e para o seu desenvolvimento e modernização.
Nesta sua intervenção o Dr. Capoulas Santos sublinhou a importância dos apoios comunitários que devem ser canalizados, essencialmente, para a área da produção em fileiras já estabelecidas pelo Governo como sejam, o vinho, as hortofloriculturas, o azeite e floresta.
Uma política de verdadeiro desenvolvimento rural é – adiantou o conferencista – de grande premência já que sem ela, frisou, não é possível suster a desertificação do interior, assim como não é possível elevar os padrões do progresso existentes noutras regiões do país.
Elogiou, nesse sentido, o esforço feito pele Autarquia Cabeceirense que, através do entusiasmo do seu presidente tem sabido lutar pela alteração das coisas neste sector, dando como exemplo as inúmeras acções direccionadas para a revitalização e recuperação das aldeias e lugares serranos proporcionando às populações locais melhores condições de vida.

Prioridade aos apoios e à produção

Após uma série de perguntas e outras intervenções do público presente, tomou a palavra o Ministro Dr. Jaime Silva para, seriamente e com toda a tranquilidade explicar com grande rigor e detalhe a acção do seu ministério que, diga-se, tem sido ultimamente contestado pela CAP a propósito dos subsídios comunitários.
O governante começou as suas palavras por agradecer o convite da Câmara Municipal para visitar Cabeceiras de Basto, congratulando-se ao mesmo tempo, por estar acompanhado nesta iniciativa pelo Dr. Capoulas Santos a quem chamou por “Ministro Capoulas”, tratamento a que se habituou desde que este foi ministro do governo de Guterres.
O Dr. Jaime Silva explicou aos participantes da conferência as linhas mestras da política do seu ministério para a agricultura, através das medidas já anunciadas e a lançar em breve.
O governante disse estar decidido a alterar profundamente a política para o sector para o que está a ser preparada uma grande reforma que irá vigorar já no início de 2007, aproveitando a recente revisão da PAC onde o governo português conseguiu resultados que ultrapassaram as expectativas.
As prioridades – garantiu o ministro – privilegiarão a produção, a organização e modernização das empresas agrícolas, bem assim como as culturas dos produtos considerados rentáveis e que podem concorrer com os mercados externos.

Subsídios atribuídos com mais justiça

Com correcções a ajustes adequados à realidade e, sobretudo, com critérios de justiça manter-se-ão – adiantou – os subsídios de apoio aos agricultores no quadro definido pela PAC. O ministro respondia, deste modo, indirectamente àqueles agricultores CAP que estavam à espera de receber subsídios prometidos pelo anterior governo do PSD/CDS-PP.
O Dr. Jaime Silva que decidiu não pagar os referidos subsídios porque os dinheiros destinados a tal beneficiariam pouco mais de um milhar de agricultores em prejuízo de outros cem mil o que não era justo nem correcto – disse.
Nas novas politicas a serem lançadas em 2007 no sector, o Ministro Dr. Jaime Silva deixou clara a sua determinação em tomar medidas para que, de uma vez por todas o desenvolvimento rural de que tanto fala e para o qual pouco ou nada se faz, seja visto como uma preocupação nacional.

Mundo rural com nova esperança

Nessa perspectiva, a floresta, as actividades agro-pecuárias, o artesanato, o turismo rural e a gastronomia serão bases para relançar a vida nas zonas desprotegidas do interior serrano como a nossa, tornando-as atractivas e produtivas.
Muito aplaudido e felicitado pelas suas palavras de esperança numa melhoria acentuada das condições de vida das populações rurais, o Ministro da Agricultura recebeu ainda apoios de associações de agricultores da região presentes na sala quanto às medidas tomadas recentemente consideradas de elementar justiça e que a CAP não tem razão para protestar.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.