Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-01-2006

SECÇÃO: Política

PRESIDENCIAIS 2006
CAVACO SILVA ELEITO PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Cavaco Silva venceu à primeira volta as eleições presidenciais realizadas no passado dia 22 de Janeiro. Com 50,54 por cento dos votos do eleitorado, o líder apoiado pelo PSD, Professor Aníbal Cavaco Silva é o novo Presidente da República Portuguesa, sucedendo assim, a Dr. Jorge Sampaio, em exercício de funções até ao próximo dia 9 de Março, altura em que o agora eleito PR assumirá oficialmente a presidência do país.
No acto eleitoral realizado no dia 22 de Janeiro, Manuel Alegre obteve 20,74 por cento dos votos, ultrapassando o candidato apoiado pelo Partido Socialista, Mário Soares, que recolheu 14,31 por cento da preferência dos portugueses. Por sua vez, Jerónimo de Sousa, apoiado pela CDU alcançou 8,64 por cento do votos, ficando à frente de Francisco Louçã candidato pelo Bloco de Esquerda que reuniu 5,32 por cento dos votos e de Garcia Pereira com 0,44 por cento dos votos, sob a sigla do MRPP.
Na ocasião, e em reacção à sua vitória eleitoral, Cavaco Silva considerou que os portugeses “disseram com clareza quem queriam para Presidente da República” e prometeu que irá cooperar com o Governo e restantes órgãos de soberania.

foto

foto



Manuel Alegre, que não era apoiado por qualquer partido político, reconheceu que “o objectivo principal” da sua candidatura não foi atingido por décimas.
Apesar do resultado de Soares, o secretário-geral do PS e primeiro-ministro José Sócrates, rejeitou que o Governo tenha sido avaliado nestas eleições e afastou a hipótese de um congresso antecipado do seu partido. Sócrates disse ainda que o PS respeita aqueles que apoiaram “outros candidatos”, mas elogiou Mário Soares, afirmando-se honrado por ter estado ao lado do candidato apoiado pelo Partido Socialista.
Por sua vez, o líder do PSD, Marques Mendes, disse que se fez história ao eleger-se, em Portugal à primeira volta um líder da sua área política. Marques Mendes atribuiu ainda o mérito da eleição a Cavaco Silva. Para o líder do CDS-PP, partido que também apoiava Cavaco Silva, esta vitória “é o resultado que mais favorece a estabilidade e a confiança”.

Em Braga, vitória folgada de Cavaco Silva

Ao nível do Distrito de Braga, Cavaco Silva venceu em todos os concelhos arrecadando 56,98 por cento do votos. Tal facto revelou-se certamente como um forte contributo para a sua eleição, já que se trata do terceiro maior distrito do país em termos eleitorais. Por sua vez, Manuel Alegre alcançou 16,46 por cento dos votos, posicionando-se, uma vez mais, à frente do candidato do Partido Socialista Mário Soares, que obteve 15,69 por cento dos votos do eleitorado minhoto.
Jerónimo de Sousa, pela CDU, alcançou 5,79 por cento dos votos no distrito de Braga, ficando à frente de Francisco Louçã, candidato do Bloco de Esquerda que reuniu 4,85 por cento das preferências do eleitorado e de Garcia Pereira, do MRPP, que registou 0,31 por cento dos votos dos eleitores do distrito.
Mário Soares, apesar de “derrotado” também pela candidatura de Manuel Alegre, ficou à frente do seu colega de partido em oito dos catorze concelhos do distrito, entre os quais Vila Nova de Famalicão, Guimarães e Barcelos.

No concelho de Cabeceiras de Basto

Em Cabeceiras de Basto a onda laranja dominou e Cavaco Silva registou 56,79 por cento dos votos dos cabeceirenses. No entanto, neste concelho e contrariando a tendência nacional, o socialista Mário Soares posicionou-se em segundo lugar nas preferências do eleitorado concelhio arrecadando 27,19 por cento dos votos, seguido de Manuel Alegre, que no terceiro lugar, conseguiu 11,72 por cento dos votos.
Por sua vez, Jerónimo de Sousa, candidato à Presidência da República pela CDU reuniu 2,05 por cento dos votos, seguindo-se Francisco Louçã, do BE, com 1,95 por cento dos votos e Garcia Pereira com 0,29 por cento dos votos.
De registar em Cabeceiras de Basto, o facto de Mário Soares, ex-Presidente da República e candidato apoiado pelo Partido Socialista ter alcançando, na freguesia de Abadim, um resultado de 43 por cento dos votos, contra 39,9 por cento dos votos alcançados por Cavaco Silva, o mesmo sucedendo em Campo Maior, no Alentejo, onde Mário Soares arrecadou 26,16 por cento do votos e se posicionou, de igual forma, à frente do candidato às Presidênciais 2006, Cavaco Silva que aqui obteve 23,69 por cento dos votos.
Ao que apuramos, pode então dizer-se que a nível nacional, Mário Soares apenas venceu as eleições no concelho de Campo Maior, obtendo tal como referimos 26,16 por cento dos votos e na freguesia de Abadim, no concelho de Cabeceiras de Basto, fazendo 43 por cento do resultado. Estas foram as duas localidades onde Mário Soares venceu as restantes candidaturas que se apresentaram a sufrágio eleitoral no dia 22 de Janeiro. Contrariando assim, a tendência nacional registada que lhe conferiu o terceiro lugar nas preferências dos portugueses,Mário Soares obteve em Cabeceiras de Basto um dos melhores resultados registados pela sua candidatura no país neste acto eleitoral.


Ficheiros para Download

 .Folha de Cálculo do Excel 
© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.