Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-10-2005

SECÇÃO: Região

A Cultura Oral a Património da Humanidade

Os eurodeputados de Portugal, Espanha e Itália entregaram no dia 27 de Outubro, na divisão do Património Imaterial da Unesco, em Paris, uma declaração de apoio à candidatura das tradições galaico-portuguesas.
No manifesto, os 24 eurodeputados referem que a candidatura é o reflexo da cooperação entre estes dois países da União Europeia, destacando o seu âmbito educativo como instrumento para evitar o desaparecimento de uma cultura comum.
A cultura oral galego-portuguesa abarca um amplo conjunto de manifestações literárias, musicais e etnográficas, nomeadamente cantigas, lendas, contos, romances, cantares ao desafios, celebrações do ciclo agrário e da natureza, entre outras, enraizadas na tradição e que permanecem ainda vivas em vastas zonas do Norte de Portugal e da Galiza, que são expressões de uma continuidade histórico-cultural antiquíssima.
Recorde-se que, neste âmbito, os governos português e espanhol apresentaram, através da Associação Cultural e Pedagógica “Ponte nas Ondas”, com sede na Galiza, uma candidatura à Unesco para a Declaração do Património Oral Galego-Português como obra-prima do Património Imaterial da Humanidade, para, desta forma imortalizar uma série de tradições que corriam o risco de desaparecer.
Os promotores [Espanha e Portugal] desta candidatura, que está nas mãos do júri internacional para avaliação científica e eventual proclamação, defendem que a cultura comum das duas regiões apresenta características antropológicas e históricas ainda preservadas nos dois lados da fronteira mais antiga da Europa.
A aprovação desta candidatura, a que a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto aderiu em Dezembro de 2004, através da assinatura de protocolo com aquela Associação Galega no sentido de colaborar e apoiar as acções tendentes à promoção e divulgação da candidatura e ao mesmo tempo se comprometeu a identificar, recuperar, proteger e divulgar a componente fundamental da identidade da nossa terra e das nossas gentes, contribuirá, certamente, para um conhecimento mútuo entre os dois povos e para consolidar e impulsionar “crescentes” relações institucionais, sociais, culturais entre a Galiza e o Norte de Portugal.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.