Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

SECÇÃO: Opinião

Alzheimer…Doença…Alzheimer…

No passado dia 21 de Setembro comemorou-se o Dia Mundial da Doença de Alzheimer, realizaram-se vários eventos em todo o país de modo a sensibilizar a população acerca desta doença.
Em 1907, Alois Alzheimer, médico alemão descreveu pela primeira vez a doença, daí o nome Doença de Alzheimer. É uma doença degenerativa, isto é, uma forma de demência que provoca uma deterioração global, progressiva e irreversível de diversas funções cognitivas tais como a memória, atenção, concentração, linguagem, pensamento…desta deterioração resultam alterações do comportamento, da personalidade e da capacidade funcional da pessoa, dificultando a realização das suas atividades de vida diárias.
Segundo a literatura existem dois tipos diferentes de Doença de Alzheimer: a Doença de Alzheimer esporádica pode afetar adultos de qualquer idade, mas ocorre habitualmente após os 65 anos. Esta é a mais comum e afeta pessoas que podem ter ou não, antecedentes familiares da doença. Parece não existir hereditariedade da Doença de Alzheimer esporádica, de início tardio. Contudo, é possível que algumas pessoas possam herdar uma maior ou menor probabilidade para desenvolverem a doença numa idade avançada. Até à presente data o único fator de risco evidente para o desenvolvimento desta doença parece ser a existência prévia de um traumatismo craniano severo.
A Doença de Alzheimer Familiar é menos comum, é transmitida de uma geração para outra. Se um dos progenitores tem um gene mutado, cada filho terá 50% de probabilidade de herdá-lo. A presença do gene significa a possibilidade da pessoa desenvolver a Doença de Alzheimer, normal-mente entre os 40 e 60 anos. Es-te tipo de Doença de Alzheimer afeta um número muito reduzido de pessoas.
Nas fases iniciais, os sintomas da Doença de Alzheimer podem ser muito imperceptíveis. Contudo, começam frequentemente por lapsos de memória e dificuldade em encontrar as palavras certas para objetos do quotidiano.
Estes sintomas agravam-se à medida que as células cerebrais vão morrendo e a comunicação entre estas fica alterada e a doença progride a um ritmo diferente consoante a pessoa. As capacidades da pessoa podem variar de dia para dia ou mesmo dentro do próprio dia, podendo piorar em períodos de stress, fadiga e problemas de saúde.
Atualmente não existe qual-quer teste específico para identificar a Doença de Alzheimer. O dia-gnóstico é realizado após uma observação clínica cuidadosa. Trata-se de uma doença para a qual não existe cura, no entanto, existem algumas medicações que parecem permitir alguma estabilização do funcionamento cognitivo nas pessoas com Doença de Alzheimer, nas fases ligeira e moderada.
Podemos prevenir esta doença?
Segundo a literatura, uma dieta equilibrada associada a estilos de vida saudáveis, estimulação cerebral diária e exercício físico podem atrasar ou mesmo evitar o surgimento desta doença.
Está á espera de que, comece desde hoje a cuidar de si e dos seus!
Faça 30 minutos de atividade física 3 a 5 vezes por semana, jogar tênis, praticar natação, fazer ciclismo, dançar, caminhar, por exemplo são alguns dos desportos recomendados. As atividades que estimulam o cérebro ajudam a reduzir o risco de desenvolver Alzheimer porque mantêm o cérebro ativo. Assim, deve-se guardar 15 minutos por dia para fazer atividades como: aprender algo novo; treinar a memória (memorizando a lista de compras, por exemplo); fazer jogos de estratégia( puzzles ou palavras cruzadas); Outra atividade que estimula o cérebro é ler livros, revistas ou jornais, pois além da leitura o cérebro também retém informações, treinando várias funções. Ter uma alimentação rica em vegetais, peixes e frutas ajuda a nutrir corretamente o cérebro, impedindo problemas graves, como o Alzheimer ou demência. Dormir pelo menos 8 horas por noite ajuda a regular o funcionamento do cérebro, aumentando a capacidade para pensar, guardar informação e resolver problemas, prevenindo o surgimento de demências. Controlar a tensão arterial também é importante pois alguns estudos referem que a tensão arterial alta está relacionada com o surgimento precoce da Doença de Alzheimer e demência.
Não se esqueça que tudo o que faz hoje se reflete no seu amanhã!
Pense nisto! Cuide de si...

* Colaboradora
Enf. Anabela Rodrigues

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.