Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

SECÇÃO: Política

Novo líder distrital do PS Braga confirma maioria nos órgãos distritais

Socialista reuniram-se em Amares
Socialista reuniram-se em Amares
Congresso do PS reforça Joaquim Barreto

Após ter ganho as eleições para a Federação Distrital do PS de Braga realizadas a 6 de setembro, com 2.405 votos a favor contra os 1.882 votos conquistados pela sua adversária, o cabeceirense Joaquim Barreto, apresentou-se ao XVI Congresso Distrital com 60% dos delegados eleitos. Congresso este, que teve lugar no passado dia 20 de setembro, em Amares, e durante o qual foi confirmado o apoio que tinha sido expresso nas eleições diretas.
Joaquim Barreto tomou posse a 25 de setembro na sede da Federação
Joaquim Barreto tomou posse a 25 de setembro na sede da Federação
O novo líder da Distrital de Braga do Partido Socialista conseguiu assim, o apoio do Congresso Distrital à sua moção ‘Unir, Fortalecer e Vencer’, tendo igual-mente recolhido a maioria do apoio (cerca de 60 por cento) para a composição dos vários órgãos distritais.
Em declarações proferidas, o socialista Joaquim Barreto, que sucede a Fernando Moniz, considera que depois deste ciclo eleitoral o PS «está fortalecido para enfrentar os próximos desafios eleitorais e conquistar o apoio da população», seja nos concelhos mais urbanos, seja nos concelhos mais rurais, do litoral ou do interior.
Durante o Congresso, a moção de estratégia global apresentada pelo autarca cabeceirense, sob o lema ‘Unir, Fortalecer e Vencer’ foi aprovada com 249 votos, vencendo assim a outra moção designada por ‘Um novo tempo’ apresentada pela candidata Maria José Gonçalves e que recolheu somente 174 votos.
Em declarações efetuadas no rescaldo do congresso, Joaquim Barreto, considerou que este conclave foi positivo para o parti-do, tendo sido um momento de muita participação e debate, já que foram apresentadas diversas moções de estratégia setoriais, a maioria das quais foi aprovada.
Na sequência das votações para os órgãos distritais, a futura Comissão Política Distrital será composta por 42 membros da lista afeta a Joaquim Barreto e 29 afetos à lista personificada por Maria José Gonçalves (MJG). De referir que a estes 71 elementos, se juntam também, lugares por inerência de funções noutros órgãos do partido, completando assim, o órgão deliberativo da estrutura federativa.
No que se prende com a Comissão Federativa de Jurisdição, a candidata opositora Maria José Gonçalves conseguiu 170 votos, indicando 3 elementos, enquanto, que, a lista de Joaquim Barreto, registou 252 votos, elegendo 4 elementos.
Quanto à Comissão Federativa de Fiscalização Económica, a lista de MJG obteve 170 votos e a de Joaquim Barreto, 253 votos, votação que determinou 2 elementos afetos a MJG e 3 elementos ao novo líder da distrital.
Em declarações feitas ao DM, o atual Presidente da Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto, disse que o PS/distrital «está agora melhor preparado para dar resposta aos problemas sociais do distrito» e para alcançar novas vitórias eleitorais seja nas legislativas, seja nas eleições subsequentes, garantindo que, «o objetivo é procurar que o partido se una em todo o distrito e que isso tenha como consequências uma resposta positiva e o fortalecimento do PS». E acrescentou: a moção «pretendeu responder aos anseios de todo o distrito» que é composto por um território diferenciado que se debate com problemas também eles diferenciados. «Queremos encontrar atores certos que ajudem a potenciar o nosso território e que sejam usados fundos estruturais para a requalificação territorial mais urgente», disse.
Joaquim Barreto destacou ainda o combate ao desemprego jovem como uma prioridade, já que Braga é um distrito jovem que apresenta uma elevada taxa de desemprego nesta faixa etária da população, defendendo por isso, políticas ativas de emprego e de apoio ao investimento e ao desenvolvimento socioeconómico. Para o novo líder da distrital, importante também, é ter e dinamizar políticas que permitam a fixação dos jovens, sobretudo nos concelhos de baixa densidade e que estes consigam valorizar as potencialidades locais.
Contestatário de algumas decisões assumidas pela direção nacional durante o processo eleitoral, Joaquim Barreto mostra-se doravante, «aberto ao diálogo, à cooperação e colaboração para o bem do partido», não deixando no entanto de lamentar e reprovar «algumas atitudes de imposição da direção nacional que se fizeram sentir nos últimos tempos», que considerou, «em nada dignificarem a legitimidade dos órgãos distritais e regionais do partido».
Recorde-se que Joaquim Barreto – que tomou posse como líder distrital do PS Braga no passado dia 25 de setembro – já exerceu a presidência da Federação durante 12 anos, tendo sido apoiante de Costa nas Primárias realizadas no dia 28 de setembro.























© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.