Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 16-06-2014

SECÇÃO: Opinião

Mais do que um abraço

Por mais cético ou impassível que se seja, importa reconhecer que o abraço ao Mosteiro foi bem mais do que isso.
Há muito que o Presidente da Câmara Municipal do nosso concelho, Dr. China Pereira, anunciou a candidatura do Mosteiro de S. Miguel de Refojos a Património Cultural da Humanidade.
Tão importante como o resultado final desta candidatura, é o concominante agregado de conquistas sucessivas, próprias do desenrolar deste processo. É preciso saber gerir esta ideia, que só se materializará com a efetiva consagração do ex-libris do nosso concelho a Património Cultural da Humanidade, mas que na verdade tem sido motivo de honra para os da terra e o propósito daqueles que nos visitam.
O primeiro passo está dado e para que esta iniciativa continue a ser fator de coesão e de união entre a sociedade cabeceirense é importante envolver todos, informar e dar a conhecer cada passo deste percurso. A autarquia tem conseguido isso e as gentes de Cabeceiras têm respondido muito bem, com aprovação e com grande sentido de missão.
O nosso Mosteiro tem sido, agora de forma mais vincada por ser o centro das atenções de todos, um fator de unidade entre os cabeceirenses. Isso, à margem de qualquer outro resultado, já é uma notável conquista.

*Colaborador
João Pacheco

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.