Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 16-06-2014

SECÇÃO: Recordar é viver

Cavaquinhos da Raposeira
Mais uma vez cumpriram a tradição

Mais uma vez, a Associação Grupo Cavaquinhos da Raposeira, levou a efeito, como já vem sendo habitual, a realização de um passeio com dois autocarros e, este ano pela segunda vez, em direcção, Vigo e Samil, na Galiza, Espanha.
Este passeio organizado por esta Associação, cuja ambição é conviver com o grupo musical que tem o mesmo nome, com os só-cios, famílias e os amigos que vêm de quase todas as freguesias do nosso concelho. Até do concelho de Montalegre, mais propriamente do lugar do Telhado, como por exemplo, o Dominguinhos “Morgado do Telhado”, ir-mão do Carlos Fraga Lopes Pereira e do Manuel Lopes Pereira, meu cunhado , infelizmente já falecido há mais de vinte anos.
Apesar do boletim meteorológico não dar as melhores previsões atmosféricas para o dia sete do corrente, em Portugal e em Vigo, os Cavaquinhos e todo o pessoal não arredaram pé e, mesmo assim, lá fomos bem dispostos, com uma boa merenda (exagerada como sempre), boa pinga, porque nesse dia como são os choferes dos autocarros que conduzem e têm de beber água, já se sabe que a “outra população”… aproveita para se beberem um pouco a mais, mas, só um pouquinho…
Como vão sempre dois auto-carros, o grupo musical que é to-do popular teve que se dividir pelos dois para animar com as cantigas e o instrumental. Os cavaquinhos, bandolins, violas, flauta e a concertina do meu irmão Fernando não podia faltar. Num carro, além de outros membros, o meu irmão Joaquim Campos que deu show e o nosso presidente da União de Freguesias, Leandro Vilela Campos, que pertence à Associação e ao grupo musical. No carro número dois que eles “consideraram” ser da minha responsabilidade tínhamos o presidente da direcção e maestro, Manuel Carneiro, como todos sabem é o meu filho do meio, o professor João Sérgio que serve para a brincadeira e outros que asseguraram a boa disposição entre todos.
Posso dizer que o passeio apesar de algum chuvisco à saída e enquanto estávamos em Portugal correu de feição. Em Vigo e Samil chuva não houve mas vento não faltou e bem forte... mas a merenda conseguimos “agarrá-la” para não voar. Mesmo com o vento e as gaivotas a tirarem o croquete directamente das nossas mãos especialmente aos ma-is desprevenidos foi divertido. O sorteio habitual dum cavaquinho saiu a um nosso amigo, vizinho que chegou de véspera de Rives, França, só para ir ao passeio e foi mesmo a ele que lhe saiu.
Os que já são costumeiros nos nossos passeios gostaram e os que foram pela primeira vez fizeram-nos prometer que os avisas-sem para o próximo ano.
Os Cavaquinhos, também, como de outras vezes levaram um mata bicho para meio da manhã. Constava de bolinhos de bacalhau, rissóis, croquetes, bijus, sumos e vinho branco fresquinho. Ninguém se fez de rogado a não ser aqueles que foram tomar o café com leite e o bolinho.
Nada mais tenho a acrescentar, só tenho a dizer que tudo correu bem só foi pena o vento em Samil, senão um banho naquela baía seria o culminar de um dia bem passado. Aqui vos deixo algumas fotos.

fernandacarneiro52@hotmail.com

* Colaboradora
Fernanda Carneiro










































© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.