Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 26-05-2014

SECÇÃO: Desporto

Crianças e jovens, o desporto e a importância da família

Os pais são um pilar fundamental na formação dos atletas, assumindo um papel fundamental e crucial para o sucesso da formação e da construção de uma carreira desportiva. É fundamental a sua colaboração na formação da personalidade da criança ou do jovem de forma a encararem com naturalidade o treino e a competição, percebendo que cada criança e jovem são diferentes, biológica e psicologicamente, bem como, possuem ritmos de aprendizagem e maturação diferentes.
Raposo (2006), já afirmava que “no mundo do desporto, não são raras as situações onde observamos os pais, que são as pessoas que mais gostam das crianças, transformarem-se nos seus maiores inimigos (...) mas é também uma realidade, que a grande maioria dos pais apoia os seus filhos, o que os torna o epicentro de suporte ao desenvolvimento desportivo”.
É apoiando-nos na afirmação de Raposo que salientamos a importância que o acompanhamento dos pais e encarregados de educação desempenha na vida desportiva das nossas crianças e jovens.
Todos os pais querem o melhor para os seus filhos. Apesar de a maior parte dos pais e encarregados de educação serem participativos e envolverem-se corretamente no acompanhamento dos seus filhos no desporto, contribuindo de forma essencial à sua formação, podemos dizer que os pais possuem uma natural e normal visão centrada nos seus filhos. Além disso, uma visão afunilada da sua prática desportiva, tendo dificuldade, na maior parte das vezes, de analisar o envolvimento desportivo em que os filhos se encontram inseridos.
Infelizmente, também é um facto que, cada vez mais temos assistido e debatido no desporto, alguns pais procuram nos filhos o sucesso que nunca experimentaram como praticantes desportivos e outros, por terem sido bons praticantes e atingido bons resultados, manifestam ressentimento pelos filhos não conseguirem alcançar feitos idênticos aos seus.
Para muitos pais, o que interessa são os resultados desportivos nos treinos e nas competições, criando nesses resultados a base da análise do desempenho dos seus filhos. Fazem, deste modo, que o seu sucesso oscile com os seus bons ou maus resultados, não entendendo assim que estas oscilações são normais no processo de formação desportiva.
A atitude certa passará sempre pela não criação de expectativas exageradas quando surgem os bons resultados e a não desvalorização nem comparação quando os resultados, por diversos motivos, surgirem menos bons. Aí tem que haver a tentativa da compreensão e da consequente aprendizagem que daí advém.
Espera-se assim que os pais assumam o seu importante papel de modo a que os filhos não faltem aos treinos, sejam pontuais, pratiquem uma boa alimentação e tenham bons hábitos de vida, que orientem as horas de repouso/sono, que tenham atenção ao seu estado de saúde, comunicando sempre que surja qualquer sintoma fora do normal, que transmitam entusiasmo, que adotem atitudes positivas e de compreensão nos momentos menos bons, que respeitem as competições, os seus regulamentos e decisões de arbitragem, não misturem a sua função com a do treinador, que sejam um pilar de apoio no decurso de todo o processo formativo. No fundo, que deixem os seus filhos CRESCER como atletas e como Homens.


Francisco Freitas

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.