Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 26-05-2014

SECÇÃO: Opinião

Um olhar sobre a depressão

“A vida não é triste. Tem horas tristes.”
Romain Rolland
Na sociedade atual é frequente utilizar-se o termo depressão, nas expressões: “está com uma depressão”; “apanhou uma depressão”; “tenho uma depressão”. Isto porque, nos últimos anos, este estado de humor adquiriu uma notoriedade, apresentando-se como um fenómeno que deve ser analisado de forma complexa, multifatorial, individual e situacional.
No contexto clínico, o termo depressão, pode designar um estado atual de humor (episódio depressivo) ou um diagnóstico de Perturbação Depressiva. Podendo mostrar diferentes graus de variação (ligeira, moderada e grave), dependendo da forma como se descrevem as características do episódio atual perante a sua gravidade.
Nos dias de hoje, cada vez mais, a depressão resulta de múltiplas etiologias, quer de origem biológica, psicológica ou social. Por isso, é um facto preocupante e que apesar de ser explorada ainda não tem o reconhecimento merecido. Neste caso, a intervenção psicológica e farmacológica é importante, não se podendo descurar nenhuma (apesar de não ser o que se verifica), visto que os fármacos por si só não são a solução, mas em complementaridade com uma análise e intervenção na sua origem, caso contrário o seu tratamento será insuficiente.
Manifesta-se a partir de múltiplos sintomas em diferentes níveis, sendo o mais predominante a tristeza, contudo pode verificar-se: melancolia, cansaço, desinteresse, sentimentos de culpabilidade, diminuição da capacidade de concentração, desmotivação, diminuição do prazer de viver, ansiedade, visão negativa do futuro, sentimentos de desespero e solidão, persistência de recordações desagradáveis e insucessos, insónia, cefaleias, fadiga, alteração do apetite, lentificação psicomotora, ideação e intenção suicida, entre muitos outros.
Concluindo, esta realidade é muito frequente na sociedade atual, contudo nem sempre é atribuído o reconhecimento merecido, envolvendo diferentes áreas na vida do individuo, demonstrando uma visão negativa de si, do meio envolvente e do futuro, logo, as suas consequências podem ser nefastas.

Sugestões e comentários:
ana_sofia_smatos@hotmail.com

* Colaboradora
Ana Sofia Matos

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.