Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 05-05-2014

SECÇÃO: Informação

Exposição ‘Álvaro Cunhal: Vida, Pensamento e Luta’ para ver até 28 de maio

Autarcas do município, dirigentes do PCP e público em geral marcaram  presença na abertura da exposição alusiva a Álvaro Cunhal
Autarcas do município, dirigentes do PCP e público em geral marcaram presença na abertura da exposição alusiva a Álvaro Cunhal
Continua patente ao público na Casa Municipal da Cultura de Cabeceiras de Basto, até ao dia 28 de maio, a exposição ‘Álvaro Cunhal: Vida, Pensamento e Luta’, uma mostra inaugurada no passado dia 24 de abril pelo presidente da Câmara Municipal, Dr. China Pereira. Associaram-se também ao evento os vereadores Francisco Alves e Prof. Mário Leite, o secretário da Assembleia Municipal, Dr. Mário Machado, e Manuel Nogueira da CDU de Cabeceiras de Basto, entre outros convidados e público em geral.
Inserida nas comemorações concelhias dos 40 anos do 25 de Abril que o Município Cabeceirense levou a efeito, a exposição composta por 15 painéis temáticos que evidenciam o percurso de vida de Álvaro Cunhal – dedicado ao seu partido de sempre e à luta pela liberdade, pela democracia e pelo socialismo – integra um conjunto de desenhos, livros e outros documentos referentes a uma das personalidades que mais se destacou na luta pelos valores da emancipação social e humana, com forte projeção no plano mundial.
De salientar que a abertura da exposição contou com a apresentação do livro ‘Álvaro Cunhal – Fotobiografia’ da autoria da Comissão das Comemorações do Centenário de Álvaro Cunhal, apresentado, nesta sessão, por João Frazão, da Comissão Política do PCP.

“Conquistas” de Abril possibilitaram grandes transformações no país

De acordo com a informação divulgada, o presidente da Câmara Municipal, saudando todos os presentes, realçou que “o 25 de Abril foi uma data marcante para o povo português”, evidenciando “as conquistas” que possibilitaram grandes transformações no país, nomeadamente ao nível da educação, saúde e ação social.
“O 25 de Abril valeu a pena não só pela liberdade e pela democracia mas também pelo poder local”, disse China Pereira, acreditando que “Portugal, com o contributo de todos, conseguirá ultrapassar a atual crise”.
O autarca disse, ainda, que “a Câmara Municipal lembra todos os anos o 25 de Abril e quer continuar a comemorar esta data condignamente”.
Fazendo uma retrospetiva sobre a vida e obra de Álvaro Cunhal, João Frazão destacou que esta exposição procura dar expressão a momentos significativos da sua luta, considerando-o uma personalidade determinante na Revolução de Abril e nos anos seguintes, no que se refere à defesa dos interesses dos trabalhadores e do povo português.
Frazão falou, ainda, dos 12 anos em que Álvaro Cunhal esteve preso nas cadeias Penitenciária de Lisboa e Forte de Peniche, período durante o qual se dedicou ao estudo, ao desenho e à escrita, tarefas a que viria a dar continuidade em liberdade.
Nas palavras de João Frazão, a inauguração da exposição ‘Álvaro Cunhal: Vida, Pensamento e Luta’ é uma “excelente forma de assinalar os 40 anos do 25 de Abril” em Cabeceiras de Basto. “O 25 de Abril foi um momento de grande esperança”, sendo “hoje necessário não outro 25 de Abril mas que este 25 de Abril se cumpra”, sublinhou.
De salientar, ainda, que na abertura da exposição o público presente teve a oportunidade de escutar a declamação do poema de Pablo Neruda inserido na campanha internacional para a libertação de Álvaro Cunhal (1954), sendo, no final, brindado com a música de Carlos Paredes, interpretada pelo músico cabeceirense, José Marques.














© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.