Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 05-05-2014

SECÇÃO: Informação

Enaltecer a Democracia..!

Que melhor forma teríamos de comemorar Abril, ao levar à casa dos cidadãos, as transmissões da Assembleia Municipal?
Foi sob uma proposta do grupo municipal do PS, na Assembleia Municipal, que as mesmas passaram a ser transmitidas via internet, de forma a que qualquer cidadão, possa estar ao corrente dos assuntos da autarquia e do seu órgão fiscalizador, a Assem-bleia Municipal.
No mundo onde a informação é cada vez mais global, o grupo municipal do PS teve o arrojo de levar esta proposta, que sem qualquer discriminação do local de residência, e desde que possua uma ligação à internet, possa acompanhar a atividade da Assembleia Municipal.
Assim, no nosso entender, faz com que a democracia seja mais participada e porque não, passo a redundância, mais democra-tizada.
É assim possível, aos nossos conterrâneos emigrantes, que procuram melhores condições de vida fora do país, estarem mais próximos do que se passa no seu Concelho, estou certo, que foram muitos os que apreciaram e viram esta medida implementada, tal é o orgulho com que a nossa comunidade residente no estrangeiro, fala, sente a sua terra, também foi a pensar neles que o PS votou favoravelmente esta proposta.
Do ponto de vista político, e naquilo que é o escrutínio a que estamos sujeitos, enquanto detentores de cargos públicos, é de louvar esta medida, pois assim os cidadãos avaliaram melhor a forma como se defende os interesses do Concelho, e nesse campo, a primeira trans-missão foi muito clara.
Relato apenas dois factos:
1 - O IPC votou contra as contas de gerência, mas no entanto viu satisfeita todas as dúvidas que levantaram, ficando devidamente esclarecidos, no entanto, e como a declaração de voto já vem formatada de casa, e a vontade de estar contra é maior aos superiores interesses do Concelho, não foram capazes de alterar o seu sentido de voto, fazendo constar na declaração de voto muitas das dúvidas para as quais foram cabalmente esclarecidos.
2 - Há, na bancada do IPC, elementos que quando passam as fronteiras do município se esquecem que continuam como eleitos e representantes dos cabeceirenses, pois o rigor e exigência que querem mostrar em Cabeceiras, não o usam quando estão em representação do município noutras funções, ou seja, na Comunidade intermuni-cipal do Ave, onde votam favora-velmente documentos sem o mínimo de informação, mas em Cabeceiras e para mostrar servi-ço, satisfazem as dúvidas e votam contra. Na falta de argumentos políticos ou técnicos usam o ataque pessoal, o que certamente não se recordaram era que estava a ser filmado e que a gravação não é apagada, conforme foi a memória de muitos que se sentam na bancada do IPC. Como para a tolerância há limites, também para a coerência deveria haver.
Como dizia o anúncio, “Eles falam falam, mas não fazem nada”, assim vai andando o IPC, pois na altura de colocar em prática os preceitos (valorização da democracia, da participação, o rigor, etc.) que orgulhosamente se dizem “donos”, fazem precisa-mente o contrário.
Já o PS, e com muito orgulho o afirmo, desde 1974 que procura enaltecer e valorizar a demo-cracia, e talvez muitos destes Independentes que mais não são que Dissidentes, tenham apren-dido algo com os valores demo-cráticos inscritos na matriz ideológica que o PS possui e que jamais abdicará a troco de qualquer projeto pessoal.
Viva Abril e a Democracia..!

* Colaborador














© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.