Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 14-04-2014

SECÇÃO: Informação

UCC de Cabeceiras comemora Dia Mundial da Saúde

Na passada manhã do dia 7 de abril, a Unidade de Cuidados à Comunidade de Cabeceiras de Basto (UCC) com o apoio Câmara Municipal e a empresa agrícola Arboreto, organizou uma ação de sensibilização subordinada ao tema ´Menos sal, mais saúde‘ no âmbito do Dia Mundial da Saúde.
A iniciativa que decorreu em frente ao Centro de Saúde, contou com as visitas dos presidentes, da Câmara Municipal, Dr. China Pereira e da Assembleia Municipal, Eng.º Joaquim Barreto, que se juntaram às centenas de cabeceirenses que durante o dia procederam à medição da tensão arterial e perceberam como podem reduzir ao sal na confeção dos alimentos.
Aprender a preparar correta-mente uma infusão, conhecer e provar infusões de ervas aromáticas da Arboreto, assim como, saber quais os efeitos benéficos da atividade física adequada às diferentes idades, foram alguns dos conselhos dados quer pelas enfermeiras da UCC de Cabeceiras de Basto, quer pela representante da Arboreto, Mónica Vaz.
Na oportunidade, o presidente da Câmara Municipal, Dr. China Pereira, regozijou-se com a iniciativa, realçando a sua importância na promoção da saúde dos cabeceirenses. “Ao realizar esta iniciativa, o Centro de Saúde visou, fundamentalmente, alertar as pessoas para o facto da saúde, em primeira instância, depender de nós próprios, difundindo medidas preventivas que possibilitem uma melhor saúde”, destacou o autarca.

Trocar o sal por ervas aromáticas

Segundo Mónica Vaz oferecer as ‘pitadas de aromas’ para substituir as ‘pitadas’ de sal é uma forma de divulgar o projeto Arboreto e as ervas aromáticas, que as pessoas nem sempre sabem utilizar. Por esse motivo, considero que “estas ações são importantes porque é preciso passar a informação de que há outras alternativas ao sal” referiu Mónica Vaz, acrescentando, “acho que funciona muito bem aqui em frente ao mercado por-que o público-alvo são pessoas já com alguma idade que geral-mente têm tensões arteriais elevadas, portanto penso que é uma ótima ideia. Acho que se deve falar todos os dias da saúde e estas iniciativas são a melhor forma de prevenir.” E concluiu “ o nosso objetivo hoje foi falar das ervas aromáticas na cozinha e ensinar como é que se deve fazer uma infusão de ervas aromáticas corretamente”.

‘Menos sal, mais saúde’

A responsável pelo Plano de Atividades alusivas às Datas Comemorativas anexado ao Plano de Ação da Unidade de Cuidados à Comunidade do Centro de Saúde de Cabeceiras de Basto, enfermeira Anabela Rodrigues, explicou que a iniciativa ‘Menos sal, mais saúde’ pretendeu sensibilizar as pessoas para que façam “a redução do sal e que conheçam as alternativas que existem para fazer essa redução, nomeadamente através das ervas aromáticas que podem facilmente ser encontradas nas nossas hortas e campos”, disse, acrescentando que com esta ação se pretendeu também “prevenir as doenças coronárias, contribuindo para que as pessoas tenham mais qualidade de vida e mais saúde”. E finalizou com uma mensagem aos utentes “que sejam felizes, que olhem pela sua saúde e que previnam”.
A ação terminou com a prova de infusões de ervas aromáticas, levando para casa as ‘Pitadas de Aromas’ (saquinhos com ervas aromáticas), oferecidas pela Arboreto, para substituírem as ‘pitadas’ de sal na confeção dos alimentos.


Maria Pereira | 85 anos

Acho muito bem haver estas iniciativas. A enfermeira deu-me muitos conselhos, e disse-me o que devo comer para baixar a tensão. Deram-me uma saquinha de ervas aromáticas para eu levar para casa. A infusão que bebi era muito boa.


Joaquina Magalhães| 71 anos

A enfermeira esteve-me a medir a tensão. Está um bocadinho alta. Disse-me para baixar no sal e para tomar estas infusões. Adorei. São muito boas. Acho que estas iniciativas deveriam ser feitas com mais frequência.



José Pacheco | 61 anos

Acho que estas iniciativas devem ser repetidas porque informam-nos para termos mais cuidado com a saúde. Deviam vir mais vezes à rua.



Luísa Oliveira |62 anos

Acho que estas ações se devem repetir. Eu nunca meço a tensão e hoje medi e tenho-a alta. Se não tivesse medido ia comer comidas com sal e fazia-me pior.





























© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.