Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 24-03-2014

SECÇÃO: Informação

Órgãos Sociais da Basto Vida tomaram posse no dia 19 de março de 2014
Joaquim Barreto reconduzido na presidência da Basto Vida

Os novos Órgãos Sociais da Basto Vida tomaram posse no passado dia 19 de março, na sede da Basto Vida – Serviços de Ação Social e Cuidados de Saúde. Joaquim Barreto foi reconduzido como presidente da direção, integrando também este órgão Fátima Oliveira, Catarina Ramos e Manuel Ramos.
A mesa da Assembleia Geral é dirigida por Fernando Basto, órgão que integra ainda Paula Gonçalves, Armando Duro e Leandro Vilela Campos.
No que se refere ao Conselho Fiscal, o órgão é presidido por Abílio Alves, que conta também com José Maia Ramos e Augusto Boticas Teixeira.
Após o ato de tomada de posse, o presidente da direção, Eng. Joaquim Barreto, disse ser com “satisfação que assumo este desafio”, fazendo o seu trabalho de uma forma “voluntária”, sem renumeração e “contando com todos” na prossecução da atividade da régie cooperativa.
Dirigindo-se ao presidente da Câmara Municipal e aos vereadores presentes que aprovaram a designação de Joaquim Barreto para presidente da direção e Abílio Alves para presidente do Conselho Fiscal da Basto Vida, Joaquim Barreto disse: “obrigado pela confiança que depositaram em nós. Esperamos estar à altura e corresponder às vossas expectativas”.
E acrescentou: “é com esta compreensão e colaboração recíproca que queremos mostrar aos cabeceirenses que é possível trabalhar quando estão em causa os superiores interesses do concelho. Esta é uma nova etapa que temos pela frente e todos, com empenho, iremos pôr em prática este projeto que queremos que seja de todos e para todos os cabeceirenses”.
De acordo com Joaquim Barreto, o compromisso estabelecido com a Câmara Municipal assenta em valores da lealdade recíproca, um princípio a prosseguir não só entre os novos órgãos sociais da Basto Vida, mas entre estes e o Município de Cabeceiras de Basto, assim como com os associados da cooperativa.
Dizendo acreditar no movimento associativo e nos “fins que são prosseguidos por esta instituição”, Joaquim Barreto afirmou que a Basto Vida “presta bons serviços a cabeceiras de basto e às pessoas, cria e fomenta o emprego”, prosseguindo o objetivo de servir o concelho em áreas muito importantes como a saúde, a ação social e a prestação de serviços na cultura, lazer, turismo, entre outros, e promovendo, ainda, o bem-estar de todos os cabeceirenses.
Joaquim Barreto desejou que a Basto Vida “não seja uma entidade concorrente com as IPSS e com os privados que criaram os seus próprios empregos e prestam os seus serviços”, apontando como caminho a celebração de protocolos entre a Basto Vida e as entidades privadas, no sentido de se evitarem desequilíbrios e injustiças, mas antes ajudando a alavancar os privados e a dar-lhes outras condições, numa relação de parceria.
Deu exemplo daquilo que já acontece com o Programa dos Medicamentos Sociais, onde foram estabelecidos protocolos com as Farmácias e em que a Basto Vida paga aos utentes o valor, ou parte do valor, que lhe cabe pagar e que o Estado não comparticipa.
Joaquim Barreto falou, ainda, dos novos desafios que se colocam hoje à Basto Vida, designadamente no que se refere ao Posto Móvel de Atendimento ao Cidadão (PMAC), Espaços de Convívio e Lazer (ECL’s) e Unidade de Cuidados Continuados Integrados de Média Duração.
Em relação ao PMAC, a Basto Vida está a fazer um esforço para que os serviços “cheguem a todos aqueles que precisam desta prevenção na saúde e apoio social”, realçou Joaquim Barreto, salientando que se está a desenvolver um trabalho com as Juntas de Freguesia e com outros parceiros no sentido de aumentar o número de paragens do carro existentes, isto é, que os serviços possam ir ainda mais ao encontro dos cidadãos.
No que toca aos ECL’s, atualmente 15, “estamos disponíveis para colaborar com as Juntas de Freguesia, procurando abrir mais centros porque é importante que haja um envelhecimento saudável e ativo das populações”, sublinhou o presidente da direção da Basto Vida.
O novo serviço e o “grande desafio” que se coloca agora à Basto Vida é a entrada em funcionamento da Unidade de Cuidados Continuados Integrados a Pessoas Dependentes de Média Duração e Reabilitação.
“É um projeto muito ambicioso que vai exigir uma avaliação muito rigorosa e muito ponderada para que tenha sucesso. É uma área nova no que se refere ao internamento que tem uma relação hospitalar e que nós queremos desempenhar da melhor forma”, frisou.
A Unidade, que deve estar pronta no final do mês de abril, tem capacidade para 30 camas, podendo, também, dar “outras respostas”, numa ótica de “otimizar e rentabilizar o espaço com o maior número de serviços de modo a que, numa concorrência leal com as outras entidades, se prestem os serviços com qualidade às pessoas que os utilizarem sem prejudicar ninguém”, explicou Joaquim Barreto, referindo ser necessário “dialogar com os órgãos sociais, associados e Câmara Municipal”, sem os quais “não seria possível viabilizar a entrada em funcio-namento da Unidade”, assegurou.
Na sua intervenção, o presi-dente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Dr. China Pereira, felicitou todos os dirigentes da Basto Vida, assegurando que não teve “qualquer dúvida em sugerir, como presidente da direção da Basto Vida, o Eng. Joaquim Barreto que é uma pessoa que eu conheço há muitos anos, que fez um excelente trabalho como presidente de Câmara e fê-lo também enquanto presidente da direção da Basto Vida e faria todo o sentido que ele pudesse dar continuidade ao projeto que desenhou com acentuados benefícios para a população de Cabeceiras de Basto”.
E disse: “estou convencido que hoje a Câmara Municipal, sem a Basto Vida, não poderia prestar todo o tipo de serviços que presta hoje à população”.
A Basto Vida “será no futuro aquilo que foi no passado – um motor do desenvolvimento e acima de tudo uma prestação de serviços à população que hoje se traduz numa melhoria da qualidade de vida e do bem-estar das populações. E esse é o desafio que tem a Câmara Municipal e a Basto Vida: trabalharmos em conjunto para conseguirmos as melhores soluções para os problemas que Cabeceiras de Basto tem”, declarou.
Por seu turno, o presidente do Conselho Fiscal, Abílio Alves, disse que está disponível para trabalhar e servir com “lealdade porque é das coisas que mais aprecio e, por isso, cumprirei com lealdade as funções que me foram confiadas”.












© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.