Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 20-01-2014

SECÇÃO: Opinião

« Às almas cândidas» ao Trabalhador Rural

Oh! Almas cândidas quase perfeitas!...
Onde Deus Omnipotente se vem deleitar,
Vós que sois aquelas eleitas,
Onde o seu sorriso vem à noite pousar.
 
Decerto que Ele vos há-de tocar,
Com a sua mão na noite de breu.
Puras como açucenas de noite ao luar,
Há-de levar-vos direito ao Céu.
 
Vós inocentes como flores do monte,
Que depois do trabalho árduo e duro.
Rijas e valentes como um rinoceronte,
Tendes um coração amoroso e puro.
 
Vades pelos montes cortando flores,
Lindas como vós, puras como a Alva
Fieis como passarinhos aos seus amores,
Tendes como diadema a vossa alma.
 
A noite são trevas, o dia a luz!...
À noite recolhem andorinhas aos beirais.
Vós recolheis aos vossos bragais,
Rogando por todos ao doce Jesus.
 
E, na última noite da vossa dura vida,
Um Anjo vossos olhos vos virá fechar.
Um rouxinol cantará à vossa partida,
E nos braços de Deus, ireis repousar.
 
* Colaborador
Jaime de Sousa e Silva

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.