Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 16-12-2013

SECÇÃO: Opinião

Líder distraído ou esquecido.

Jorge Machado, líder do movimento Independentes por Cabeceiras - há quem diga que são mais dissidentes e dependentes do que independentes, e se calhar isso é mesmo verdade, mas, enfim, isso agora não interessa nada para o caso que aqui vos trago - foi eleito vereador e nessa qualidade, pode e deve assistir às Assembleias Municipais tal como determina a legislação.
Não foi o que fez o vereador Jorge Machado na Assembleia Municipal realizada no passado dia 8 de novembro. Estiveram lá todos os restantes vereadores, incluindo os outros dois, eleitos por aquele movimento e colegas de Jorge Machado, mas o líder não apareceu.
Há quem diga que justificou a sua ausência com a falta de convocatória. Mas, afinal sendo a sessão da Assembleia Municipal pública e publicitada por editais públicos, o senhor vereador tomou, tal como os seus colegas, conhecimento da sua realização. Por isso, ninguém acredita que o vereador Jorge Machado não tivesse tido conhecimento da mesma.
Assim sendo, parece-me claro que Jorge Machado se esqueceu daquela sessão.
Mas há também quem diga que essa foi só uma desculpa porque, na verdade, o que se terá passado foi a intenção deliberada de não comparecer a uma sessão da Assembleia liderada por Joaquim Barreto.
O certo é que quem esteve na Assembleia, membros eleitos e público em geral, muito do qual seu apoiante, ficou boquiaberto quando verificou que aquele que escreveu aos cabeceirenses dizendo-lhes que a democracia precisa de cada um deles, foi o primeiro a achar que a democracia não precisava dele próprio.
Incongruências, senhores!
Aguardamos para ver como vai Jorge Machado comportar-se da próxima vez.
Será que vai arranjar alguma desculpa para não comparecer ou, desta vez, vai lá estar?

MM

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.