Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 18-11-2013

SECÇÃO: Opinião

Todos os dias, podem ser Natal!

Segundo a “American Encyclopédia”, o Natal foi celebrado a primeira vez pela Igreja em Jerusalém, no ano 440 D.C. e, só no quinto século, a Igreja Ocidental ( Roma ), ordenou que fosse celebrado.
Quase todas as pessoas na Cristandade, celebram o Natal, trocando presentes e desejos de “Boas Festas” ou “Feliz Natal”,aos seus familiares e amigos.
Na nossa terra e na nossa região, a quadra nata-lícia é de grande festa e muita alegria, mesmo que a crise que atravessamos, nos tente ofuscar a nossa fé.
O Menino Jesus, é a nossa luz e o maior símbolo de vida na terra. É por isso que O adoramos e festejamos pelo Natal.
O dia 25 de Dezembro, escolhido pela Cristandade como a data do nascimento de Jesus, era uma data “pagã”, podendo até ser de origem solar…pois, a Saturnal dos Romanos, precedia da festa de prazeres desenfreados, que os “pagãos” praticavam nesse tempo.
Por ironia, os Cristãos, que precisavam de ter uma data que celebrasse o nas-cimento de Jesus, acabaram por identificar o Natal, à pior das festas “pagãs” e, fixaram para aquela data o nascimento de Cristo.
Quando os meus filhos eram crianças, logo de manhazinha, procuravam junto da chaminé os presentes, que o “Pai Natal” lhes havia trazido. E, a alegria que eles nos transmitiam, ao desembrulhar os presentes… despertava-nos um sentimento de verdadeira festa.
É importante lembrar, que todos os cristãos, devem movimentar-se neste mundo, como luz e sal. Luz, para refletir a Cristo e Sua Graça para connosco, e sal, para mostrar que as coisas de Deus, têm um melhor sabor.

Por: José Teixeira da Silva

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.