Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 16-09-2013

SECÇÃO: Informação

Pela Câmara
Aprovada a Comissão Científica das Comemorações do V Centenário do Foral de Cabeceiras de Basto

Sob a presidência do Eng.º Joaquim Barreto, reuniu no dia 12 de setembro, a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto.
Segundo informação divulgada, dos assuntos tratados destaque para a decisão do executivo municipal em aprovar a constituição de uma Comissão Científica no âmbito das Comemorações do V Centenário do Foral de Cabeceiras de Basto, cujo programa previsto culminará no dia 5 de outubro de 2014, data em que se completam os 500 anos da atribuição do Foral a Cabeceiras de Basto.
Para assinalar a efeméride, a Câmara Municipal aprovou em 16 de maio deste ano a constituição de uma Comissão Organizadora da qual fazem parte os Presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal, o vereador da Cultura, o Professor Doutor Luís Vaz, o Dr. Manuel Gonçalves e as técnicas Dr.ª Fátima Oliveira e Dr.ª Alzira Barreto. Neste âmbito, entendeu agora igualmente importante constituir uma Comissão Científica das Comemora-ções do V Centenário do Foral de Cabeceiras de Basto, que integra as seguintes personalidades: Dr. Duarte Nuno Vasconcelos, Dra. Estela Vilela Passos (a confirmar), Dr. Francisco Freitas, Prof. Doutor Dr. Francisco Queiroga, Dr. Guilherme Galvão, Mestre Helena Alvim, Doutora Isabel Fernandes, Dr. José da Costa Oliveira e Prof. Doutora Odete Afonso.
Para o executivo municipal, “comemorar os 500 anos da atribuição do Foral de Cabeceiras de Basto, é um ato de cultura que honra o concelho e vai certamente honrar todos os cabeceirenses que se revêem na ancestralidade e na riqueza da história local. Trata-se por isso de um dos factos históricos mais relevantes de Cabeceiras de Basto, de maior importância e significado, que todos devem conhecer e entender, tanto mais que é a partir desse evento que estas terras ganham um estatuto próprio de unidade territorial e de afirmação como povo e comunidade autónoma, com as suas tradições, os seus costumes e laços constituidos, que hoje ostentamos e moldam a gente que somos.”
Recorde-se que D. Manuel I concedeu o Foral a Cabeceiras de Basto, em 5 de outubro de 1514, documento fundamental para o estudo da história dos concelhos, já que foram afinal a base da criação dos Municípios. Os “forais manuelinos”, assim chamados por terem sido concedidos pelo rei D. Manuel I, substituíram os antigos forais medievais instituindo uma nova ordem administrativa do território. Em curso está a preparação de um programa comemorativo de cariz concelhio, abrangente e aglutinador dos cabeceirenses, tendo em vista evocar tão importante efeméride.

Associações e coletividades recebem apoio

O executivo decidiu nesta reunião prosseguir com o apoio às coletividades e associações locais, tendo em vista a realização de atividades diversas cuja concretização nos diferentes setores de atividade, contribuirá certamente para a qualidade de vida e o bem-estar da população.
Neste âmbito, o executivo disponibilizou um valor global de 36.622,87 euros, destinado a apoiar: a Fábrica da Igreja Paroquial de S. Martinho do Arco de Baúlhe, na realização das tradicionais Festas em honra de Nossa Senhora dos Remédios, romaria que anualmente atrai ao Arco de Baúlhe milhares de pessoas não só do concelho, como das terras vizinhas e que teve lugar no primeiro fim de semana de setembro; o Desportivo do Arco de Baúlhe, que recebeu um apoio monetário para dar início à construção da bancada do seu parque desportivo; a Associação Desportiva Cultural de S. João Baptista de Bucos a quem foi atribuido um apoio financeiro para fazer face aos encargos que tiveram com a compra de equipamentos de lazer e recreio para o Campo de Férias e Lazer da Veiga, que recentemente abriu ao público, junto ao Complexo Florestal; para ajudar a suportar as despesas que tiveram com o apoio social e sócio-económico aos seus associados e para a promoção e dinamização de atividades desportivas, criação e desenvolvimento de grupos artísticos ao longo do ano, o executivo decidiu atribuir um apoio financeiro ao Centro Social, Cultural e Desportivo dos Trabalhadores da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto. O Grupo Motard ‘Os Bastos’ foi outra das coletividades que recebeu um apoio financeiro desti-nado a ajudar a custear as despesas inerentes à realização de mais um convívio Motard que agrega centenas de adeptos não só do concelho, como da região norte.
A Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga recebeu também um apoio financeiro para continuar a dinamizar atividades de solidariedade social que desenvolve e presta aos deficientes visuais do distrito de Braga, onde se incluem alguns Cabeceirenses.
À Associação Recreativa, Cultural e Social ‘Os amigos da Faia’ foi iguala-mente atribuido um apoio financeiro para ajudar a custear a realização de diversas ações previstas no seu plano de atividades dirigidas à população.
Nesta reunião, o executivo decidiu ainda, apoiar a Liga dos Combatentes, atribuindo-lhe um apoio monetário com vista a ajudar esta coletividade que integra nos seus associa-dos muitos cabeceirenses.
Também a Associação Cultural e Desportiva de S. Nicolau de Basto recebeu um apoio financeiro para a beneficiação e melhoria das suas instalações desportivas.
Por último, o Cavez Clube de Caça e Pesca recebeu igualmente um apoio financeiro para ajudar a fazer face às despesas tidas com a realização do Concurso Nacional de Pesca Desportiva de Rio, uma prova e um convívio anual de pescadores realizado na Pista Internacional de Pesca Desportiva.
Por fim, o executivo decicidiu aprovar a designação do topónimo Prof. Doutor Luís Vaz.para o Largo da Rotunda de Alvite, no lugar da Portela.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.