Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 03-12-2012

SECÇÃO: Informação

Biblioteca Municipal apresentou ‘República e Incursões Monárquicas - Um Padre Guerrilheiro de Barroso’

Foi apresentado ao público, no passado dia 23 de novembro, o livro ‘República e Incursões Monárquicas - Um Padre Guerrilheiro de Barroso’, uma iniciativa na qual participaram os presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal, Engº Joaquim Barreto e Dr. Serafim China Pereira, respetivamente, assim como o vereador da cultura, Dr. Domingos Machado, o presidente da Junta de Freguesia do Arco de Baúlhe, Sr. Armando Duro, dois dos quatro autores da obra, nomeadamente, Dr. José Dias Baptista e Dr. João Barroso da Fonte, entre outros autarcas do Município e da freguesia, convidados e população em geral.
A tertúlia cultural decorreu no Auditório da Biblioteca Municipal Dr. António Teixeira de Carvalho, no Arco de Baúlhe, inserida no plano de atividades daquele equipamento municipal dinamizado pela Câmara Cabeceirense e que contou também com o apoio da Emunibasto.
Naturais de Barroso, os oradores convidados, apresentaram esta obra, editada em 2012 e que aborda as Incursões Monárquicas no Norte de Portugal, que tiveram “repercussão relevante em Vinhais, Chaves, Valença do Minho, Cabeceiras de Basto, Fafe, Porto, e, de um modo geral, em todo o país”. Uma obra que aborda também “um dos mais destacados e astutos guerrilheiros da contrarrevolução monárquica”, o Padre Domingos, que apesar de ter vivido boa parte da vida adulta em Cabeceiras de Basto (onde se encontra sepultado) e aqui ter sediado o seu baluarte de resistência, era natural de Montalegre, mais precisamente da aldeia de Vilarinho, freguesia de Negrões, onde nasceu a 9 de Agosto de 1862.
Século e meio sobre a data do seu nascimento, este livro - que pretende ser também um homenagem a um homem de Barroso de fortes convicções - de autoria também do Dr. António Chaves e Dr. Bento da Cruz, representa “uma excelente oportunidade para revisitar o passado nacional e local, de modo a recuperar a memória da época, tornando-a inteligível às gerações mais novas, às escolas, aos interessados pela história dos lugares onde se deram as ocorrências – uma via-sacra indispensável para sabermos o que fomos e o que somos”.
A sua procedência de uma família rural pertencente a uma das últimas comunidades de camponeses livres da Europa, a formação religiosa e a atividade política de guerrilheiro e armas, a vida e obra do Padre Domingos Pereira é por tudo isto, um curioso ‘estudo de caso’, referem os autores, que abordam uma época da história pouco desvendada e com um manancial enorme para explorar.
De referir que a “reação monárquica surgiu quase de imediato à proclamação da República e teve como objetivo primordial organizar um movimento político-militar capaz de derrubar as nascentes instituições e restaurar o regime monárquico. Os anos seguintes foram pontuados por um esforço contrarrevolucionário, tentando tirar partido do descontentamento de sectores que incluíam monárquicos de diversas tendências, clero e forças políticas conservadoras e radicais, face às medidas decretadas pelos Governos republicanos”.
Coube ao vereador da Cultura Dr. Domingos Machado abrir esta sessão, que considerou ser de grande interesse para o concelho, já que ao longo do livro são referidos vários locais e episódios que decorreram nesta terra de Basto e por isso fazem parte da história local, que para muitos ainda está gravada nas suas memórias de infância, para outros representa o contacto com um passado recente que teve como cenário também Cabeceiras de Basto.
A apresentação da obra teve enfoque sobretudo nos textos escritos pelos autores presentes, Dr. José Dias Baptista - que abordou a vida e obra deste padre Domingos que foi simultaneamente, político e combatente – e Dr. João Barroso da Fonte – incidindo a sua intervenção na glória e martírio deste Padre guerrilheiro.
Muito participada, esta tertúlia abordou também a forte ligação dos Cabeceirenses com as pessoas de Barroso, ligações históricas e geracionais que ao longo dos tempos aproximaram estas comunidades, unidas por relações afetivas, sociais, económicas e culturais.
Uma relação de grande proximidade e afinidade que o Presidente da Câmara de Cabeceiras de Basto, disse pretender continuar a estreitar, partilhando conhecimentos, estabelecendo parcerias e assim, reforçando os laços de amizade entre estes povos.
Por sua vez, o presidente da Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto, Dr. Serafim China Pereira, enalteceu a realização desta iniciativa municipal, que dá a conhecer mais sobre a história local e cuja edição da obra é certamente mais um contributo para o enriquecimento cultural da região em geral e desta terra em particular.
O tema em questão, os oradores convidados e a envolvência do público presente, proporcionaram um agradável e interessante serão em torno das letras e da história local/nacional, contribuindo para um melhor conhecimento da vida e obra deste padre, político e guerrilheiro, homem de fortes convicções, cuja existência, marcada por período revolucionário, com incidências neste concelho, é ainda hoje motivo de conversa ao serão de muitas famílias de cabeceirenses e barrosões.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.