Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 10-09-2012

SECÇÃO: Informação

Partido Socialista de Braga indignado


O Partido Socialista considera injustas as novas medidas de austeridade que o Primeiro-ministro Passos Coelho anunciou na sexta-feira da semana passada.

Em comunicado distribuído à imprensa a Federação do PS de Braga afirma que “ficou claro que o Primeiro-ministro perdeu toda a sensibilidade social que ainda poderia ter, que apenas está obstinado com números e com seguimento cego das orientações da troika, esquecendo, por completo, os dramas diários das famílias portugueses. Já não há dúvidas que estamos perante um Primeiro-ministro que não ouve nada nem ninguém, nem mesmo o Senhor Presidente da República que tem vindo a alertar para a incapacidade dos portugueses suportarem mais sacrifícios”.

O Partido Socialista mostra-se indignado com a situação, afirmando: “as alterações nas taxas das contribuições para a Segurança Social que Pedro Passos Coelho anunciou ao país, apenas terão o condão de remeter grande parte das famílias para a completa miséria, sem resolver nenhum dos problemas que enferma a economia nacional, nomeadamente a falta de crescimento económico e as elevadas taxas de desemprego. É difícil entender como é que o líder de um governo, que supostamente deveria estar bem assessorado, anuncia medidas destas sem equacionar minimamente os reflexos na procura interna, situação que levará ao encerramento de muitas empresas que, resistindo à conjuntura económica, ainda asseguravam um número significativo de postos de trabalho”.

E o PS acrescenta, na nota divulgada: “a remuneração mínima nacional vai, pela primeira vez em 40 anos, diminuir, fixando-se nuns miseráveis 400,00 euros, os grandes grupos económicos, mesmo beneficiados pela diminuição da contribuição para a Segurança Social, não vão gerar mais emprego, as pequenas e micro empresas, sem financiamento da banca, continuarão a encerrar portas e a atirar milhares de portugueses para os humilhantes programas assistencialistas, único garante de uma refeição numa qualquer cantina social autorizada pelo Ministro Mota Soares. É esta a receita, de austeridade em cima de austeridade, de constante empobrecimento, que a maioria PSD/CDS tem para oferecer aos portugueses”.

O Secretariado da Federação do PS de Braga afirma que não poderá calar a sua indignação e acrescenta: “O distrito de Braga, as empresas, os trabalhadores e as suas famílias, precisam de ver uma luz ao fundo do túnel, desejam ter esperança no futuro, esperança que se desvanece à medida que o Primeiro-ministro vai mostrando os resultados do seu trabalho e as medidas, para corrigir os desvios ainda não explicados, que, custe o que custar, tanto quer cumprir”.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.