Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 10-09-2012

SECÇÃO: Informação

Museu das Terras de Basto apresenta ‘Mulheres de Bucos’

foto
O Museu das Terras de Basto, em Arco de Baúlhe, apresenta a partir do próximo dia 15 de setembro, a exposição intitulada ‘Mulheres de Bucos’.
Trata-se de uma mostra que integra trabalhos manufaturados em lã, bem como vários utensílios, que associados à demonstração de técnicas ancestrais utilizadas ao longo do processo de transformação da lã, pode ser observada naquele espaço museológico.
O projeto é apoiado pela Câmara  de Cabeceiras
O projeto é apoiado pela Câmara de Cabeceiras
A tosquia, a seleção da lã, a lavagem, assim como, as tarefas de esguedelhar, cardar, fiar, torcer, ensarilhar, dobar, tricotar ou tecer, integram este Ciclo da Lã, que as ‘Mulheres de Bucos’ teimam em manter vivo salvaguardando e transmitindo de geração em geração todo um legado patrimonial que este processo encerra.
Tendo como cenário a Serra da Cabreira, as ‘Mulheres de Bucos’, “desde há séculos que fiam a lã e o linho com que se agasalhou o corpo e se utilizou no quotidiano para cobrir a mesa e fazer a cama, adorar os deuses ou Deus (…)”. No entanto, o nome destas mulheres fiadeiras e tecedeiras de lã e de linho, tem permanecido desconhecido. Não fizeram obras de arte maior, mas ao longo dos tempos, a lã e o linho continuaram a ser utilizados e os gestos do fazer foram perpetuados por outras mulheres, produzindo peças imprescindíveis no quotidiano e de grande qualidade estética.
Hoje, na freguesia de Bucos, os afazeres da lã, já não são o labor quotidiano das mulheres, as quais arrepiam caminhos e abandonam as lides agrícolas como atividade principal, obtendo o sustento com o trabalho realizado no setor secundário e terciário. No entanto, um grupo de dez mulheres criou o hábito de se reunir todas as Quintas-feiras à tarde, para continuar a pegar na lã, executando todas a tarefas, num processo manual tão interessante como cultural, que desenvolvem por amor à arte e a ela desta forma, prestam homenagem.
Dez mulheres dinamizam  a Casa da Lã
Dez mulheres dinamizam a Casa da Lã
As ‘Mulheres de Bucos’ encontram-se agora, na recém inaugurada Casa da Lã, um espaço sedeado na antiga escola primária da freguesia. Ali produzem artesanalmente os seus produtos e ali os comercializam mantendo assim, vivas as tradições e os usos desta gente de Basto, que sob um olhar contemporâneo virá certamente a frutificar no campo económico, cultural e social. Este é por isso, segundo informação divulgada, um projeto inovador e aglutinador, apoiado pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto e pela Junta de Freguesia de Bucos que paulatinamente tem vindo a conquistar a atenção dos forasteiros.
Os produtos manufaturados pelas ‘Mulheres de Bucos’ com a etiqueta ‘Novelo de lã’ podem doravante ser igualmente observados e adquiridos no Museu das Terras de Basto. A inauguração da exposição está agendada para as 16h30m e conta com a presença do edil Cabeceirense, Engº Joaquim Barreto.
Esta mostra de trabalhos em lã pode ser visitada de terça a domingo, das 9h00m às 12h30m e das 14h00m às 17h30m, no Museu das Terras de Basto, no Arco de Baúlhe.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.