Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 20-08-2012

SECÇÃO: Informação

Produtores cabeceirenses distinguidos no Concurso Pecuário de Raça Barrosã de Montalegre

Dezenas de animais apresentaram-se a concurso
Dezenas de animais apresentaram-se a concurso
À semelhança dos anos anteriores, o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Eng.º Joaquim Barreto, acompanhado pelo vereador Francisco Pereira, marcou presença no passado dia 18 no XXIV Concurso Pecuário de Raça Barrosã de Montalegre, que decorreu na vila de Salto.
Trata-se de um concurso de âmbito nacional muito participado por produtores de raça barrosã que tem grande expressão no concelho de Cabeceiras de Basto, onde o efetivo de fêmeas com mais de 1 ano da raça barrosã é de 847, da raça maronesa de 495 e da raça minhota 262, o que no total ultrapassa os 1.600 exemplares. Quanto aos caprinos e ovinos, o número de efetivos chega aos 2.500 cada.
Ao Concurso Pecuário de Raça Barrosã de Montalegre apresentaram-se agricultores de toda a zona norte mas também de todo o país, um certame onde os criadores de Cabeceiras de Basto obtiveram importantes prémios monetários nos diferentes escalões – Bois e Vacas – em diferentes idades. Animais de belo porte estiveram, assim, em exibição para gáudio dos cabeceirenses e barrosões que marcaram presença no Concurso Pecuário de Montalegre.
Joaquim Barreto (ao centro) com o presidente da Câmara Municipal de Montalegre e com o veterinário municipal (à dta) e ainda com membros da Assembleia Municipal de Montalegre
Joaquim Barreto (ao centro) com o presidente da Câmara Municipal de Montalegre e com o veterinário municipal (à dta) e ainda com membros da Assembleia Municipal de Montalegre
Presença assídua há já vários anos neste Concurso Pecuário de Raça Barrosã de Montalegre, o autarca Joaquim Barreto demonstrou uma vez mais o seu interesse pela agricultura e pecuária, valorizando o esforço dos criadores, que têm vindo a produzir com qualidade e brio. São estes mesmos produtores que têm “mantido viva a produção pecuária, especialmente das raças autóctones que fazem parte da nossa identidade rural e que com a sua preservação e valorização estamos a afirmar o concelho como uma terra que aposta numa pecuária de qualidade que além de trazer mais-valias e reconhecimento nos concursos, contribui para a economia doméstica dos nossos agricultores”, afirmou Joaquim Barreto.
A prova de que a Câmara Municipal apoia, patrocina e procura engrandecer a pecuária em Cabeceiras de Basto é a realização do já tradicional concurso de gado, agendado para o dia 28 de setembro, no âmbito da Feira e Festas de S. Miguel.
Ao que conseguimos apurar, é vontade da organização do evento que os agricultores que chamam o gado, isto é que vão à frente dos animais, se apresentem ao concurso pecuário trajados a rigor, com indumentária característica da agricultura.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.