Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 18-06-2012

SECÇÃO: Informação

Casa de Encosturas premiada no 1º Concurso Nacional de Licores com Medalhas de Ouro e Prata

A Casa de Encosturas, sediada na freguesia de Cabeceiras de Basto (S. Nicolau), conquistou duas medalhas no 1º Concurso Nacional de Licores Conventuais e Tradicionais Portugueses.
Na categoria das ervas aromáticas, o Licor de Ervas Aromáticas foi laureado com a Medalha de Ouro, enquanto o Licor de Laranja foi distinguido com a Medalha de Prata na categoria dos licores de frutos.

Qualidade dos licores reconhecida em Concurso Nacional
Qualidade dos licores reconhecida em Concurso Nacional
O concurso que decorreu em maio no Centro Nacional de Exposições (CNEMA) em Santarém, em conjunto com a Qualifica, teve como principal objetivo premiar, promover, valorizar e divulgar os genuínos Licores Conventuais e Tradicionais Portugueses, obtendo a Casa de Encosturas de Cabeceiras de Basto um lugar de destaque neste primeiro concurso.
Para os responsáveis da Casa de Encosturas, António e Maria Vaz Maia o reconhecimento do seu trabalho neste concurso traduz-se num novo alento para a produção de licores.
“Este foi um concurso muito sério e de facto estamos muito satisfeitos por termos sido contemplados com estes dois prémios. É um orgulho para nós e para Cabeceiras de Basto”, confessou António Vaz Maia, referindo que “este é também um grande incentivo para a Casa de Encosturas prosseguir com a sua atividade porque sentimo-nos reconhecidos pelo nosso trabalho que é feito com muita consciência e com todo o rigor que se impõe”.
Na Feira Internacional de Agricultura de Santarém, onde foram anunciados os vencedores do 1º Concurso Nacional de Licores Conventuais e Tradicionais Portugueses, o nome de Cabeceiras de Basto fez furor, contou o casal.
“O Presidente da República e o Primeiro-ministro passaram pelo nosso stand, cumprimentaram-nos e felicitaram-nos pela obtenção das medalhas de ouro e prata”, revelou o proprietário da Casa de Encosturas, assegurando que nas próximas feiras será novamente exibido o estandarte de Cabeceiras de Basto.
O novo desafio que a Casa de Encosturas tem pela frente é a internacionalização dos seus produtos. “Já estamos a dar passos nesse sentido mas queremos dar passos firmes e seguros, o que significa que o processo vai levar o seu tempo, não vai ser nada precipitado”, avançou António Vaz Maia.
Refira-se que, para além da produção de licores, a proprietária da casa dedica-se à produção de compotas e marmelada, que têm sido um sucesso nas feiras realizadas em território nacional.
“Este setor, devidamente explorado e feito com rigor, pode ser uma alavanca para a exportação de produtos, mesmo em período de crise pois por toda a Europa há mercado para este tipo de produtos”, garantiu António Vaz Maia, que já recebeu convites para participar na Feira Internacional em Cracóvia, na Polónia, e em Frankfurt, na Alemanha.
Para além da comercialização em feiras, a Casa de Encosturas vende os seus produtos para várias lojas ‘gourmet’ de todo o país e, através da loja online, para qualquer pessoa, em qualquer parte da Europa, que faça a sua encomenda.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.