Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 27-02-2012

SECÇÃO: Destaque

Festa da Orelheira e do Fumeiro atraiu multidão

Ateliê de máscaras para os mais novos
Ateliê de máscaras para os mais novos
Milhares e milhares de pessoas passaram pela 16ª edição da Festa da Orelheira e do Fumeiro de Cabeceiras de Basto, um evento organizado pela Câmara Municipal e pela Emunibasto que decorreu no Pavilhão Desportivo de Refojos.
O certame, que foi inaugurado pelo Diretor-Geral de Alimentação e Veterinária, Nuno Vieira e Brito, e pelo presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Eng.º Joaquim Barreto, contou com a presença de 83 expositores, entre os quais 48 produtores de fumeiro, 16 expositores de artesanato/produtos locais, 4 associações locais e 15 expositores de concelhos vizinhos.
Ao longo de quatro dias, a organização do certame promoveu a exposição/venda da orelheira e do fumeiro, o V Concurso do Fumeiro de Basto (salpicão e chouriça), o Leilão da Orelheira, animação diversa e ainda o Sorteio do Cabaz da Orelheira e do Fumeiro. Durante o fim-de-semana de 17 a 19 de fevereiro, o visitante teve ainda a oportunidade de degustar o fumeiro, o vinho da região, a broa e os doces típicos na ‘Tasquinha’ preparada para o efeito no recinto da festa.
Nuno Vieira e Brito e Joaquim Barreto inauguraram certame
Nuno Vieira e Brito e Joaquim Barreto inauguraram certame
Pelo palco passaram este ano o Grupo de Bombos ‘ARBORADA’ e os ‘Tocadores de Concertinas’, o grupo de dança do Ginásio Companhia Atlética, os Cavaquinhos da Raposeira, o Grupo de Concertinas da Casa da Musica e S.D.S. de S. Nicolau, o Grupo Folclórico ‘Os Camponeses de Arosa’, os Cantares ao Desafio ‘Lopes de Travassô, Carvalho de Cucana e Adília de Arouca’ e ainda a animação musical ‘Cantar Portugal’ promovida pela Associação Nun’Álvares de Fafe.
No dia 18 de fevereiro realizou-se a quinta edição do Concurso da melhor Chouriça e do melhor Salpicão organizado pela Delegação Regional do Ave/DRAPN e que contou com a participação de 31 produtores. O júri foi constituído por especialistas da Escola Superior Agrária de Ponte de Lima, da Norte e Qualidade e da Delegação Regional do Ave/DRAPN que apreciaram e classificaram os melhores produtos a concurso.
De salientar que a produtora mais premiada deste concurso foi Maria da Graça Oliveira Ribeiro, da freguesia de Pedraça, que conquistou três primeiros prémios e um segundo prémio nas categorias de chouriça e salpicão.
Associação Nuno Álvares trouxe à festa animação 'Cantar Portugal'
Associação Nuno Álvares trouxe à festa animação 'Cantar Portugal'
O Leilão ao qual se apresentaram mais de 50 orelheiras oferecidas pelos produtores de fumeiro presentes na edição 2012 Festa da Orelheira e do Fumeiro foi o ponto alto do certame. O público foi muito participativo, o que resultou num animado e concorrido leilão, com os populares ‘picados’ a cada lanço para levar a melhor orelheira para casa.
O Leilão das Orelheiras é uma tradição destas terras do Norte de Portugal que marcava o domingo gordo que antecede o dia de Carnaval e que a Festa da Orelheira recria ano após ano, atraindo sempre um mar de gente ao Pavilhão Desportivo de Refojos.
Pela primeira vez este ano, a organização promoveu o sorteio de um cabaz de fumeiro e outros produtos locais que foi um verdadeiro sucesso, tendo o mesmo cabaz sido entregue a um visitante do concelho de Celorico de Basto.
Cantares ao desafio animaram o público presente
Cantares ao desafio animaram o público presente
O presidente da autarquia Cabeceirense mostrou a sua satisfação pela expressiva adesão de público à festa e revelou-se “muito feliz” por constatar que, naquele fim-de-semana, Cabeceiras de Basto foi o centro do Norte de Portugal, para onde convergiram milhares e milhares de pessoas oriundas dos mais diversos pontos do país. “Esta é uma excelente feira que representa um orgulho para todos nós”, concluiu o autarca.
A 16ª edição da Festa da Orelheira e do Fumeiro de Cabeceiras de Basto chegou ao fim com um balanço muito positivo. A edição 2012 desta Festa da Orelheira e do Fumeiro mostrou, uma vez mais, que a economia rural e de subsistência não perdeu peso, bem pelo contrário, pois passou a ter mais relevância na economia familiar. Os Cabeceirenses têm sabido criar sinergias entre a tradição e as novas tecnologias, o que significa que a produção de enchidos, alheiras e fumeiro desta região, mantém os sabores e saberes ancestrais, estimulando a economia local e promovendo o concelho.
Cavaquinhos da Raposeira cantaram na festa da Orelheira/Fumeiro
Cavaquinhos da Raposeira cantaram na festa da Orelheira/Fumeiro
Na hora do balanço final, os produtores/expositores presentes neste certame não escondem a sua satisfação.

Testemunhos
Grupo de dança do ginásio Companhia Atlética animou primeiro dia de festa
Grupo de dança do ginásio Companhia Atlética animou primeiro dia de festa

“Esta feira correu bem. Nós temos um bom produto e como as pessoas gostam aderem”, disse António Azevedo de Montalegre que participa pela segunda vez em feiras deste género. “Em relação ao ano passado, tive um acréscimo em termos de vendas. O espaço está muito bem concebido e daí que se tenha alcançado um bom resultado. O domingo superou todas as expetativas”, assegurou.
Oriunda de Castanheira, Montalegre, Inês Costa mostrou-se também “satisfeita com o resultado” obtido nesta festa. “O produto está praticamente escoado porque nós temos clientes que nos procuram sempre nesta festa”, garantiu a produtora que vem a Cabeceiras de Basto há 10 anos consecutivos.
Crianças dançaram no palco do pavilhão e inebriaram público
Crianças dançaram no palco do pavilhão e inebriaram público
Participante no certame desde a primeira edição, Ana Brás, da freguesia de Bucos, Cabeceiras de Basto, também escoou o seu produto.
“À semelhança dos anos anteriores, a festa do fumeiro correu muito bem. O espaço é muito bom e tem acolhido muita gente. Domingo foi um dia muito movimentado e bom para o negócio”, confessou a produtora de Bucos.
A vencedora de quatro prémios (3 primeiros lugares e 1 segundo lugar) no concurso da chouriça e do salpicão, Maria da Graça Ribeiro, revelou-se hoje “muito satisfeita e orgulhosa” pelo trabalho realizado e pelo sucesso desta Festa da Orelheira e do Fumeiro de Cabeceiras de Basto.
Multidão invadiu recinto da Festa ao longo de quatro dias
Multidão invadiu recinto da Festa ao longo de quatro dias
Residente na freguesia de Pedraça, a produtora ficou com a banca vazia em resultado do esforço e do trabalho realizado com a ajuda da filha.
Os prémios serviram de chamariz mas a produtora garante que faz “isto há muitos anos e os clientes que me conhecem vêm sempre ter comigo”.
Comitiva visitou  os 83 stands expositores
Comitiva visitou os 83 stands expositores
Dando os parabéns à organização do evento, Maria da Graça Ribeiro afirmou: “quero cá voltar mais vezes para dar valor ao meu trabalho, com produtos bons e da terra”.
De acordo com a administradora da Emunibasto, Dra. Fátima Oliveira, “o balanço desta 16.ª edição da Festa da Orelheira e do Fumeiro é muito muito positivo no que diz respeito ao volume de negócios e no que diz respeito ao número de pessoas que passaram por esta iniciativa”.
Com uma afluência de público dos mais variados pontos do país, a festa “tem vindo a consolidar-se e os produtores mostram-se muito satisfeitos” porque “a iniciativa permitiu ajudar financeiramente todas estas pessoas”, explicou.
Concertinas tocaram no recinto do pavilhão desportivo de Refojos
Concertinas tocaram no recinto do pavilhão desportivo de Refojos
De acordo com Fátima Oliveira, o número de expositores tem “aumentado significativamente” e a organização tem já “uma lista significativa de produtores de fumeiro em espera”.
Leilão das Orelheiras continua  a ser o ponto alto do certame
Leilão das Orelheiras continua a ser o ponto alto do certame
Ao nível do exterior tem também havido muitas solicitações de comerciantes diversificados, “o que se traduz num complemento à Feira da Orelheira e do Fumeiro”, acrescentou a administradora da Emunibasto, concluindo: “nós organização entendemos que esta iniciativa foi um verdadeiro sucesso”.
A Festa da Orelheira e do Fumeiro teve como principal objetivo o desenvolvimento local e regional, a criação de sinergias entre produtores do concelho e os novos atores sociais, bem como a dinamização da economia local e regional.
Milhares de pessoas aderiram ao certame, que decorreu entre os dias 17 e 20 de fevereiro, que colocou Cabeceiras de Basto no centro do Norte de Portugal.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.