Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 19-12-2011

SECÇÃO: Informação

Arquidiocese de Braga divide-se em duas regiões

O Arcebispo Primaz, D. Jorge Ortiga assinou no dia 5 de Dezembro o documento que consuma a divisão da Arquidiocese de Braga em duas grandes regiões pastorais, cujo funcionamento iniciará em Janeiro próximo.
Trata-se da reorganização da Arquidiocese em duas zonas – Norte e Sul – onde se integram paróquias do interior, do centro e do litoral, permitindo assim uma visão sociológica de toda a Arquidiocese.
Segundo informação divulgada no Diário do Minho, a Arquidiocese de Braga já esteve organizada em regiões pastorais confiadas aos bispos auxiliares, “permitindo que o arcebispo acompanhasse todas as comunidades através da presença em determinados momentos”.
De acordo com o novo documento, a partir de agora, a Arquidiocese de Braga ficará com duas regiões, a Norte, que será constituída por 298 paróquias pertencentes aos arciprestados de: Braga (63), Barcelos (89), Esposende (15), Vila Verde (57), Amares (24), Terras de Bouro (19) e Vieira do Minho (22). A Sul, será composta por 262 paróquias dos arciprestados de: Guimarães e Vizela (78), Vila Nova de Famalicão (53), Vila do Conde/Póvoa de Varzim (25), Fafe (37), Póvoa de Lanhoso (31), Celorico de Basto (21) e Cabeceiras de Basto (17).
Na oportunidade D. Jorge Ortigão realçou que «o bom funcionamento, para atingir os objectivos pretendidos, depende de alguns critérios que serão aperfeiçoados através da experiência e do diálogo nos diversos órgãos colegiais de coordenação pastoral».
De referir ainda que cada uma das novas regiões ficará entregue à coordenação de um bispo auxiliar mas a autoridade final será sempre a do Arcebispo Primaz. Por sua vez o bispo auxiliar será ajuda ao arcipreste , cuja figura continuará a ser de motor da actividade pastroral e promotor da unidade, realçou D. Jorge Ortiga, que disse ainda, que o «arcipreste deve assumir-se como coordenador de toda a pastoral, para o vice-arcipreste trabalhar a relação com os Bens Patrimoniais (móveis, imóveis e particularmente, arquivos) e o delegado ao Conselho Presbiteral ficar encarregado pelo IDAC, com tudo o que significa da vida pessoal aos sacerdotes».
Em suma, esta nova divisão deverá permitir um maior conhecimento da coesão territorial e permitir caminhar na concretização de mais ‘Unidades Pastorais’ que D. Jorge avança poderem apelidar-se de ‘Unidade Paroquiais’ «em sentido mais rigoroso com os objectivos pretendidos».
Com esta nova divisão, as visitas pastorais serão confiadas ao bispod e cada região, «ou em alguns casos ao Arcebispo»
Na ‘região Norte’ ficaram Vila Verde, Esposende, Amares, Vieira do Minho, Terras de Bouro, Braga e Barcelos, enquanto que na ‘região Sul’ ficaram Vila Nova de Famalicão, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Póvoa de Lanhoso, Guimarães e Vizela, Via do Conde/Póvoa de Varzim e Fafe.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.