Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 07-11-2011

SECÇÃO: Informação

«O espantalho que queria ser pássaro» venceu o VI Concurso Literário Conto Infantil

O Presidente da Câmara entregou o 1º prémio ao vencedor do Concurso Literário
O Presidente da Câmara entregou o 1º prémio ao vencedor do Concurso Literário
Paulo Jorge Coelho Carreira, residente na Batalha, recebeu no dia 22 de Outubro, o primeiro prémio, no valor de 500 euros, atribuído no âmbito do VI Concurso Literário Conto Infantil de Cabeceiras de Basto, com o trabalho “O espantalho que queria ser pássaro”. Um texto, cuja história proprociona uma visita ao mundo imaginário, povoado de animais falantes e tendo como protagonista um espantalho que dá corpo a uma história maravilhosa, marcada pela fantasia, criatividade e qualidade linguística, motivo pela qual foi seleccionado pelo júri constituido pelo Prof. Manuel Carneiro, pela Drª Fátima Marinho e pela Drª Adelina Paula, que consideraram ser esta uma tarefa difícil, mas que esperam vir a ser do agrado do público alvo que são as crianças.
Em segundo lugar ficou ‘A borboleta’, de autoria de José Manuel da Conceição Baptista, de Alviázere. Este conto, recebeu um prémio no valor de 300 euros. Por sua vez, Isabel Cristina Peñalba Esteves, do Porto, obteve o terceiro prémio do concurso, equivalente a 200 euros, com o conto ‘Quem comeu as bolachas?’. Na oportunidade, a escritora enalteceu a iniciativa da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto que fomenta a leitura e a escrita, nomeadamente no que à atribuição de uma menção honrosa para jovens escritores (até 20 anos de idade) diz respeito e que este ano foi entregue a Emma Carreira, igualmente da Batalha. O texto apresentado pela jovem escritora foi ‘As aventuras de Pedro Basto – uma lenda inventada’ a que correspondeu um prémio pecuniário de 150,00 euros.
A cerimónia de entrega de prémios aos vencedores deste concurso que é uma iniciativa anual, de âmbito nacional, teve lugar na Biblioteca Municipal Dr. António Teixeira de Carvalho, no Arco de Baúlhe. O edil Cabeceirense, Engº Joaquim Barreto, o representante da Assembleia Municipal, Prof. Mário Machado, o vereador da Cultura Dr. Domingos Machado, demais autarcas do Município e da freguesia, escritores premiados, convidados e população em geral, marcaram presença neste evento que é mais uma aposta no sector cultural, a que a Câmara Cabeceirense dedica uma parcela significativa do orçamento municipal.
Na oportunidade o Presidente da Câmara enalteceu a realização desta iniciativa que fomenta a escrita criativa e promove o livro e a leitura. O autarca realçou ainda a importância deste evento de cariz nacional, que atrai pessoas de vários pontos do país e regista anualmente um número sigificativo de participantes. O presidente disse também, que esta iniciativa enquadrada na Semana da Educação, tem como objectivo distribuir a cultura, descentralizando-a e criando no território dinâmicas nos diversos equipamentos e envolvendo ‘actores’ que contribuam para a sua promoção e valorização. Realçou ainda que o desenvolvimento de uma terra incide na aposta feita em diferentes sectores de actividade, de forma abrangente e integrada, feita com e para as pessoas. Pessoas que gostam do que fazem, que são persistentes e pacientes e por isso alcançam resultados posítivos que se reflectem nos seus rostos e por isso satisfazem também os autarcas e promotores deste tipo de iniciativas.

Iniciativa fomenta a escrita criativa

O vereador da cultura, Dr. Domingos Machado, manifestou na ocasião grande satisfação pela adesão crescente de participantes a esta iniciativa cultural, a que se associam outras acções realizadas ao longo do ano que promovem a cultura e a educação que considerou terem um papel muito importante na emancipação das pessoas. A cultura não pode por isso desaparecer, bem pelo contrário, têm que ser criadas condições para a sua promoção e democratização, sem nos deixarmos cair em facilitismos e relativismos.
De referir que a realização do VI Concurso Literário Conto Infantil teve uma vez mais como objectivo divulgar e promover novos talentos literários, estimulando simultaneamente o gosto pela escrita e pela leitura como formas superiores de acesso à educação e à cultura.
Segundo o júri constituido para o efeito, os trabalhos vencedores foram reveladores de criatividade, imaginação, qualidade literária, organização, coerência, coesão de texto e obediência às características do género em questão, fazendo ainda alusão ao concelho de Cabeceiras de Basto.
Após a cerimónia de entrega dos prémios aos vencedores e a leitura do conto ‘O espantalho que queria ser pássaro’ pelos ‘actores’ Paulo e Daniela, do Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, seguiu-se um momento de confraternização entre os presentes.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.