Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 07-11-2011

SECÇÃO: Opinião

AO MEU IRMÃO “ZÉ”

foto
Naquele dia triste o telefone tocou
E alguém do outro lado soluçava
Que fulminado a morte te levou
Quando atletismo em grupo praticava
Longo aperto senti no coração
Ao perder o irmão que eu tanto amava
Tombou sem vida no frio alcatrão
A fazer aquilo que tanto adorava

Louco de dor e de saudade
Corri a tocar teu corpo frio
A morte cometeu grande maldade
Ao levar um atleta com brio
Não voltas às maratonas de Londres e Milão
Ficam para trás tantas corridas
Num simples treino te traiu o coração
Ficando a tristeza em nossas vidas

Sempre foste o meu irmão companheiro
Confidente em momentos tão felizes
Ninguém previa que fosses o primeiro
Dos oito irmãos a cortar suas raízes
Em Moimenta não voltas à caminhada
Onde foste um dos seus animadores
Desde o Arco ao Mosteiro na estrada
Por Abril defendias seus valores

Na tua passagem pela terra
Seguiste as boas regras dum cristão
Foste opositor de quem fomenta a guerra
Bom filho, pai, marido e bom irmão
Tombaste sem sentir o sofrimento
Em cada sítio ficou um teu amigo
Repousa em paz no celeste firmamento
Pois quando eu morrer vou ter contigo

Por: Alexandre Teixeira

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.