Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 08-09-2011

SECÇÃO: Informação

Teresa - Rainha de Portugal atraiu centenas à Praça

Com a Igreja do Mosteiro de S. Miguel de Refojos em pano de fundo, centenas de pessoas assistiram à peça de teatro Teresa – Rainha de Portugal, no passado dia 19 de Agosto. Uma encenação promovida pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, com o apoio do Centro de Criatividade da Póvoa de Lanhoso, que teve como objectivo homenagear a primeira Rainha de Portugal, Dona Teresa, mãe de D. Afonso Henriques.

Dezenas de actores e actrizes integraram o elenco da peça
Dezenas de actores e actrizes integraram o elenco da peça
Os actores do Centro de Criatividade subiram ao palco montado na Praça da República, numa noite quente de Verão, onde a emoção pulsou à flor da pele.
Na primeira fila, assistiram à peça teatral os presidentes da Câmara e Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto, Eng.º Joaquim Barreto e Dr. China Pereira, o encenador Moncho Rodriguez, os vereadores Dr. Domingos Machado e Francisco Pereira, as administradoras da Emunibasto, Prof. Stela Monteiro e Dra. Fátima Oliveira, assim como a administradora da Régie Cooperativa Basto Vida, Dra. Catarina Ramos.
Espectáculo agradou aos cabeceirenses
Espectáculo agradou aos cabeceirenses
Membros da Assembleia Municipal, convidados e público em geral associaram-se também a esta celebração teatral, que primou pela grande força visual e sonora, produzindo no espectador a sensação de uma viagem ao imaginário do passado.
O espectáculo de celebração colectiva teve como personagem central a idealizadora e visionária de um reino independente de Castela e Leon – Teresa, herdeira de uma estirpe de mulheres que determinaram os princípios da nacionalidade portuguesa.
Conta a história que D. Teresa, mãe de Afonso Henriques, foi exilada nas muralhas do Castelo de Lanhoso pelo próprio filho, depois da Batalha de S. Mamede. A peça Teresa – Rainha de Portugal centra-se na “ficção da noite do parto de D. Afonso Henriques, como libertação de todo um reino e de toda uma Nação”, explicou Moncho Rodriguez.
O imaginário fabuloso da vida da Rainha Teresa permitiu que o encenador, com a colaboração dramatúrgica da directora e autora espanhola Antónia Bueno, premiada em Espanha pelo seu trabalho de pesquisa sobre a Rainha Sancha (avó de Teresa), reconstruísse o universo medieval onde nasceu Portugal.
A mágica mistura de linguagens, interpretação, música e canto levou a plateia a viajar no tempo, onde reis e rainhas assumiam o papel principal na História.
No final, o espectáculo foi efusivamente aplaudido pelo numeroso público que não arredou pé da Praça da República, ex-líbris do concelho Cabeceirense.
Na oportunidade, o encenador Moncho Rodriguez agradeceu a presença do público e elogiou o trabalho feito pela Câmara e pela Emunibasto em prol da cultura em Cabeceiras de Basto.
“Teresa – Rainha de Portugal é um espectáculo que ficará na nossa memória”, disse o presidente da Câmara Municipal, referindo-se à noite inesquecível de ontem, “que promoveu a cultura e ajudou a perpetuar a nossa história”.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.