Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 04-07-2011

SECÇÃO: Informação

Autarcas traçam futuro para a região de Basto

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Eng. Joaquim Barreto, juntamente com os presidentes das Câmaras Municipais de Celorico de Basto, Mondim de Basto e Ribeira de Pena, associou-se, no passado dia 25 de Junho, ao colóquio/debate subordinado ao tema ‘Que Futuro para a Região de Basto?’ promovido pela Associação dos Antigos Alunos da Escola de Fermil, estabelecimento de ensino sediado na freguesia de Molares, concelho de Celorico de Basto.

Joaquim Barreto (ao centro)  partilhou o seu ponto de vista
Joaquim Barreto (ao centro) partilhou o seu ponto de vista
No colóquio/debate moderado pelo jornalista Cabeceirense da RTP, Luís Castro, o autarca Joaquim Barreto, Cabeceirense destacou como reflexão “o que somos, onde estamos e para onde queremos ir”.
Seguindo o raciocínio, Joaquim Barreto colocou em evidência os traços comuns desta região de Basto, nomeadamente o Rio Tâmega, a Ecopista, as paisagens, o microclima, a organização urbanística mista (aglomerados populacionais concentrados e dispersos), a densidade populacional, o valioso património e a história muito rica que une esta região de Basto, entre outros aspectos de interesse.
Em análise estiveram também as preocupações comuns aos quatro municípios que integram as Terras de Basto, como é o caso da desertificação e do envelhecimento da população, dois graves problemas demográficos que afligem os quatro concelhos de Basto.
Durante a sua intervenção, o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto falou, também, da dificuldade em alcançar a coesão territorial quando, na realidade, os municípios não integram as mesmas áreas de intervenção dos diferentes serviços públicos, como é o caso da saúde, da agricultura e dos sistemas multimunicipais (água e saneamento), ou o próprio associativismo municipal.
Joaquim Barreto realçou os aspectos positivos desta região, como a centralidade na região Norte de Portugal (auto-estrada), a diversidade, os produtos locais e as raças autóctones, insistindo na necessidade de se colocar em prática o Plano de Desenvolvimento Estratégico para as Terras de Basto, mandado elaborar pela Probasto em 2007, cujos principais domínios são o turismo, o lazer, os recursos naturais e a agricultura integrada.
A coesão territorial, a regionalização e o desenvolvimento económico foram apontados como factores essenciais à afirmação das Terras de Basto, uma afirmação que está intrinsecamente ligada aos interesses, dificuldades, desafios, características e recursos comuns aos concelhos de Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Mondim de Basto e Ribeira de Pena.
O colóquio/debate contou, ainda, com as intervenções do Dr. Joaquim Mota e Silva, Eng.º Humberto Cerqueira e Dr. Agostinho Alves Pinto, respectivamente presidentes das Câmaras Municipais de Celorico de Basto, Mondim de Basto e Ribeira de Pena.
Associam-se a este colóquio/debate os presidentes das Câmaras Municipais de Celorico de Basto, Mondim de Basto e Ribeira de Pena, respectivamente, Dr. Joaquim Mota e Silva, Eng.º Humberto Cerqueira e Dr. Agostinho Alves Pinto.Associam-se a este colóquio/debate os presidentes das Câmaras Municipais de Celorico de Basto, Mondim de Basto e Ribeira de Pena, respectivamente, Dr. Joaquim Mota e Silva, Eng.º Humberto Cerqueira e Dr. Agostinho Alves Pinto.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.