Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 11-04-2011

SECÇÃO: Opinião

CABECEIRAS DE BASTO

Minha terra Cabeceiras de Basto!...
Onde deixei meu coração partido:
Se tu soubesses o que tinha sofrido,
Seguirias meus tormentos, meu rasto!...

Quem terá sofrimento mais nefasto?
Quem andou sempre assim perdido?
Por terras de outrem entre metido
Se ao pé de ti, podia ser um astro!...

Minha terra meu tesouro alabastrino!...
De tuas entranhas saiu meu destino,
Como me lembro, dezoito de Março!...

Como ave que cai emplume do ninho,
Tiraram-me de ti quase menino,
Oh! Minha terra, Cabeceiras de Basto!...

Jaime de Sousa e Silva

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.