Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 07-02-2011

SECÇÃO: Opinião

CASA MINHOTA

Ó meu Minho Verde
Ó meu Minho Maduro
Sempre que vos vejo
Vejo sempre o meu futuro.

Sois vós a casa minhota
Sempre a casa amorosa
Não sendo muito elegante
Mas é bela e formosa.

És alegria, casa minhota
Tendes o nome a condizer
As vossas paredes de pedra
São fortes a valer.

És uma casa com história
Uma casa muito antiga
Não me sais mais da memória
Serás sempre minha amiga.

Um dia vos quis ver
Espreitei por uma vossa janela
E fiquei admirado
Por seres assim tão bela

Quando parei e vos vi
Nem queria acreditar
Que para dentro de ti
Um dia iria morar

Sois a casa mais bela
Das mais belas encontrei
Nunca irei esquecer
Bons momentos que lá passei
Com a bela casa minhota
Toda a gente se admira,
Na cozinha fazem-se os serões
Na eira dança o Vira.

Se algum dia vos deixar
Levar-vos-ei no coração.
Com muito carinho e amor
Como uma santa e boa recordação.


Florêncio Campos

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.