Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 07-02-2011

SECÇÃO: Opinião

Saudades

Sinto uma nostalgia tamanha,
Oh! Como sofro terríveis saudades!...
Vós sabeis lá entender as verdades
Daquele filho que tanto vos ama.

Oh! Terra minha a quem tiraste a mama,
Sem olhares á minha tenra idade.
Roubaste-me a infância, a mocidade,
Em vez de Mãe, foste madrasta insana.
A quantas como a mim tu desprezaste,
Para terras inóspitas nos mandaste,
Ganhar o pão que o diabo amassou

Mesmo assim, sabes lá como te quero!..
Desculpa minha Mãe ser tão sincero,
P’ra comer esse pão, sabes lá o que custou.

Jaime de Sousa e Silva

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.