Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 17-01-2011

SECÇÃO: Opinião

A CRISE – INCRÍVEL – RICOS E POBRES.
OH TEMPO, NÃO VOLTES PARA TRÁS

SERÁ QUE VAMOS VOLTAR À ERA DOS ANOS 40/50/60?
Neste texto em poesia dirijo-me à pobreza que nesta época os nossos pais e avós vinham sentindo com muito amargo por não conseguir chegar a algo melhor que pudesse ajudar ou matar a fome a seus filhos mesmo trabalhando sem horários “de sol a sol”
Ainda vive na minha memória o passado desta história, verdadeira sim, mas que a guardo bem dentro de mim e pela sensibilidade do meu ser muito teria que escrever.
Haviam muitos pobrezinhos que iam em fila a casa dos ricos pedir a esmola, levavam um saco de Serapilheira ás costas ou uma saca de pano de amostras. Esses mesmos pobrezinhos e outros mais e muitos deficientes vindo de várias terras nem se sabia de onde sem qualquer condição, colocavam-se nas proximidades das semanais ou anuais e, em festas religiosas no calor ou no frio. Era uma multidão!... Com muita humidade estendiam a mão pedindo a todos os que passavam naquele vai e vem “pela alma de quem lá tem” um tostãozinho ou um bocadinho de pão.
E agora? Estamos a voltar ao passado!
Como vai ser?
A vida está difícil. Como se vai viver?
Vem aí…já cá está – “crise”
A que porta se vai bater?
Se o dinheiro esgotou.
Até os bancos vão anunciando falência. Ou!...

O dinheiro não se queimou,
Nem tão pouco derreteu.
Será que se escondeu!
Aonde é que se meteu?

Foi para algum lado.
Deve estar bem guardado
E lá vamos nós voltar ao passado

Que o dinheiro não se via
Porque na terra era enterrado
Nos colchões das camas era guardado
Ou nos forros das se escondia.

Que tristeza
Com o regresso da pobreza,
Só se vê mãos a abanar
E mesmo pedindo esmola
Nem se conhece quem possa dar.

Porque o dinheiro não fala.
Mas tem pernas para andar!
Assim lhe abram alas para ele passar.

O Pais e o Mundo estão em crise
Com tantos despedimentos
Será que vamos aguentar
Tão maus acontecimentos?

Vamos ver o que aconteceu neste século XXI
Se vencemos a crise ou se ficamos mesmo sem nenhum!?

Assim… oh tempo, não volte para trás.
Porque não há ninguém que aguente
Voltar a um passado doente!

Não deixes que percamos
O que já ganhamos
Faz com que a vida seja
O que tudo queremos
E o melhor que se deseja.

Ajudar todo o mundo a viver,
Para que os nossos filhos melhor possam crescer
Suas vidas sigam em frente,
Seu caminho percorrer…E NA VIDA TUDO VENCER!

Olímpia Lúcia Oliveira

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.