Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 30-12-2010

SECÇÃO: Informação

Conto de Natal apresentado às crianças na Biblioteca Municipal António Teixeira de Carvalho

Dezenas de crianças e adultos juntaram-se no dia 9 de Dezembro, na Biblioteca Municipal Dr. António Teixeira de Carvalho, em Arco de Baúlhe, para assistir à apresentação do conto de Natal intitulado ‘A Menina’.

O Vereador da Cultura, Dr. Domingos Machado no uso da palavra
O Vereador da Cultura, Dr. Domingos Machado no uso da palavra
Da autoria de Francisco Duarte Mangas, a história foi apresentada aos meninos e meninas pelo escritor amarense Virgílio Vieira, que deu a conhecer o percurso de vida do escritor, natural de Rossas, concelho de Vieira do Minho.
Jornalista de profissão, Francisco Duarte Mangas explicou aos alunos do 5.º e 6.º ano da EB2,3 de Arco de Baúlhe o que o motivou a escrever esta história e como surgiu o desejo e o gosto pela escrita.
“A recompensa de ser escritor é viver coisas que na vida real não vivo”, disse Francisco Mangas, lembrando que “escrever pode motivar muitos sentimentos, como por exemplo alegria ou tristeza”.
De acordo com a intervenção de Virgílio Vieira, Francisco Mangas “escreve através da sua experiência de rapaz aldeia que vive em lugares distantes”. E afirma “o autor estabelece com aquele que lê uma exigência de carácter partilhado”.
A Biblioteca encheu para assistir à apresentação do conto "A Menina"
A Biblioteca encheu para assistir à apresentação do conto "A Menina"
Salientando que “a literatura ajuda a crescer”, Virgílio Vieira explicou que o livro pretende ensinar os mais novos a “dar tempo à alegria e dar movimento à felicidade”.
O ‘sonho infinito de ser criança para sempre’
O “sonho infinito de ser criança para sempre” é a grande mensagem que a obra ‘A Menina’ pretende passar a todos quantos lerem este conto natalício, que narra a história de um menino que aprendeu a profissão do pai adoptivo -carpinteiro.
De acordo com a sinopse, trata-se de “um Pai Natal à moda antiga, inventor de brinquedos de madeira, exausto de tantas viagens debaixo da neve, que delega a arte e o generoso ofício no filho. Parte de madrugada: no regresso, dias depois, só as renas e um capote. O filho adorava as árvores da floresta, desde menino repartia solidões, dúvidas e alegrias com um caracol. Inseparável amigo, de uma rara virtude: pensava, pensava devagar e bem. Certa manhã, o jovem leva as renas à clareira da floresta a beber a frescura do mundo, como sempre o seu pai fazia pelo mês de Maio. De repente, os animais suspendem o pasto, erguem a cabeça: no centro da clareira, um capote forrado a pele de marta agasalha uma menina de escassos dias de vida. A Menina é uma inesperada história de amizade, de reencontros, de subtis sentimentos que parecem não existir mais entre as pessoas. Uma história também de amor pelas árvores e por outros seres da floresta. A dado passo, a dúvida sobressaltará o leitor: o que é feito da mãe do jovem pai natal?”
Durante a sessão, o vereador da Cultura, Dr. Domingos Machado, agradeceu a presença do autor e incentivou as crianças a “lerem muito”.
“Os livros são muito importantes e se vocês não tiverem livros em casa venham à biblioteca, que é um espaço interessante e um espaço vivo”, referiu Domingos Machado, desejando que as crianças façam da biblioteca também a sua casa.
No final, os meninos e meninas fizeram várias perguntas ao autor, um momento de partilha de experiências que se revelou muito enriquecedor no contexto da motivação para a leitura.
Promovida pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, a iniciativa contou com a presença dos vereadores Domingos Machado e Francisco Pereira, da administradora da empresa municipal Emunibasto, Prof. Stela Monteiro e ainda de docentes da EB2,3 de Arco de Baúlhe.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.