Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 06-12-2010

SECÇÃO: Opinião

foto
À VELHINHA CONCEIÇÃO

Uma vez certa velhinha
Que teve vida cruel,
Até o pão que comia
Às vezes sabia a fel

De seu nome Conceição
Nunca se queixou de nada,
Foi penosa a sua vida
Por muitos explorada

E de tanta escravidão
Loucamente a trabalhar,
Quando chegou a velhice
Acabou a mendigar
O rosto encarquilhado
Às costas uma sacola,
Calcorreava caminhos
Aos pobres pedia esmola

Roupagem negra coçada
Era esse o seu trajar,
Porque nesse tempo os pobres
Pouco tinham para dar

A minha mãe que Deus tem
E a compaixão que sentia,
Tinha sempre uma sopinha
Que a velha comia

Recordo essa velhinha
Em Cavez de lés-a-lés,
Apoiada num cajado
Já mal arrastando os pés

Quando os sinos dobraram
E a velhinha se finou,
Na campa fria uma rosa
Que alguém lá colocou

Por: Alexandre Teixeira

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.