Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 06-12-2010

SECÇÃO: Crónica

foto
NATAL É SEMPRE QUE O HOMEM QUER E A CARTEIRA DEIXAR…

Meus estimados leitores, não ficaria de bem comigo se vos não dirigisse umas palavras dedicadas à quadra que se avizinha, ou seja o Natal e Ano Novo. Tenho a certeza que, para muitos dos portugueses a crise financeira que se vive vai tornar estas festividades um pouco mais tristes. Se por ventura tivermos dúvidas é só ligar os canais da televisão que nos “intoxicam” a toda a hora, acentuando ainda mais o pessimismo sobre a situação financeira do nosso país. Infelizmente, apesar do excessivo “martelar” na crise, todos os dias e a todas as horas, é verdadeira a situação angustiante que muitos portugueses estão a viver, porque tiveram a pouca sorte de ficarem desempregados, devido ao encerramento das fábricas ou empresas, onde laboravam há anos. Muitas das vezes o desemprego estende-se ao casal, situação frequente sobretudo nos meios urbanos, mais citadinos onde, noutros tempos e ainda hoje, muita gente procura para aceder a uma vida melhor. Assim tem acontecido ao longo da vida. Mas, em momentos de necessidade nos meios mais do interior há uma entreajuda maior. Todos se conhecem e por esse motivo se presta um auxílio mais rápido.
Já passamos por várias crises nacionais e internacionais grandes, dizem os antigos, como por exemplo, não haver trabalho, não haver dinheiro, não ter que comer, houve epidemias, influências das 1ª Primeira e Segunda Guerras Mundiais, etc. Dizem também os entendidos, que talvez esta seja uma das maiores crises financeiras a nível mundial que atravessamos neste século XXI. Hoje, ouvem-se notícias a todo o momento, vêm-se imagens sobre fome no nosso País e se acrescentarmos o aumento dos sem abrigo, então ficamos com o coração apertado.
Desejo a todos Boas Festas e um Feliz Ano Novo
Desejo a todos Boas Festas e um Feliz Ano Novo
Meus amigos quando comecei a escrever umas palavrinhas para este jornal, era para falar sobre o natal, não foi de maneira nenhuma para fazer como os canais da televisão, que nos “martirizam” a toda a hora mas, ao mesmo tempo também nos alertam para este problema que é de todos. Certo é que ao ver as imagens diante de nós, ficamos incentivados a colaborar com os mais necessitados repartindo com eles, de acordo com as nossas possibilidades.
De qualquer maneira vou aproveitar este espaço do jornal que me é concedido, para agradecer a todos aqueles que me dirigiram mensagens com as suas opiniões sobre as minhas crónicas, sobre os meus livros ou sobre outro assunto, através de e-mails ao longo do ano. Não posso esquecer que se não fosse o vosso apoio, lendo os meus simples mas sinceros escritos, eu não teria incentivos para continuar neste hobby que me dá tanto prazer. Além dos meus agradecimentos, quero desejar-vos umas Festas Felizes nesta quadra linda, mas muito emotiva. Como não cabe toda a correspondência que tenho recebido nesta página, vou pôr uma mensagem que me chegou em carta aberta há poucos dias. Foi enviada pelo Dr. Barroso da Fonte, digníssimo escritor e responsável pelo Jornal “Poetas e Trovadores”. Fiquei deveras emocionada com as suas palavras e achei que devia publicá-las. Para ele também o meu muito obrigada e já agora Um Bom Natal.
Então com a devida vénia.

fernandacarneiro52@hotmail.com

Por: Fernanda Carneiro

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.