Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 06-12-2010

SECÇÃO: Opinião

foto
NATAL – 2010

Natal, ouvi eu dizer no meio da multidão,
Olhei, e vi muita gente faminta de Amor e de Pão.
Aproximei-me em silêncio olhando a multidão.
E descobri que o Natal estava em meu coração!
Que tinha de ser Natal pra muita daquela gente,
Numa procura ansiosa de um rosto sorridente.
Senti um apelo forte naqueles que me olhavam
E que na estrada da vida mais um Natal esperavam.
Como posso ser Natal? Perguntei-me de seguida,
E descobri que o Natal estava na minha vida,
Que tinha de abrir os braço, mais ainda o coração,
E descobrir por todos: Paz Alegria e Perdão,
Esperança, dinamismo, um pouco mais de calor.
Uma palavra sincera, presença feita de Amor!
Então pensei: não é fácil “ser Natal para toda a gente”.
Mas só de pensar a assim sentome logo diferente.
Vou preparar o Natal com cuidado e com jeitinho,
Com um olhar de criança carregada de carinho.
Quero que seja Natal a sério na minha vida!
Para que toda esta gente não fique desiludida.
Se eu for Natal de verdade, tudo pode acontecer,
Verei então mil presépios onde Jesus vai nascer!


Tirado do Fermentinho da Ultreia de Ermezinde

Por: Dina

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.