Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 25-10-2010

SECÇÃO: Destaque

Um milhar de Cabeceirenses ‘Sonhou a História’ no Centenário da República

Um milhar de pessoas assistiu no dia 4 de Outubro, à noite à celebração teatral ‘Assim Sonhamos a Nossa História’, uma produção que contou com a participação de 230 actores, na sua grande maioria amadores.
Dezenas de crianças e adultos deram as mãos e levaram à cena, no Pavilhão Gimnodesportivo de Refojos, a recriação dos momentos que antecederam a instauração da I República em Portugal.

A peça de teatro envolveu a população e foi um êxito
A peça de teatro envolveu a população e foi um êxito
O espectáculo, integrado nas Comemorações do Centenário da República, foi efusivamente aplaudido pelo público, que apadrinhou em massa a manifestação teatral com a assinatura do encenador Moncho Rodriguez.
A peça resultou de um trabalho conjunto entre o Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto e o Centro de Criatividade da Póvoa de Lanhoso.
Depois de uma hora a reavivar a história local, o público levantou-se para aplaudir os actores que deram corpo à Resistência Monárquica à Implantação da República em Cabeceiras de Basto.
À manifestação cultural juntaram-se os membros do executivo municipal cabeceirense, liderado pelo Presidente da Câmara Municipal, Eng.º Joaquim Barreto.
“Foi um espectáculo onde Cabeceiras de Basto se homenageou a si própria. Há um movimento cultural que surge, neste momento, muito forte voltado para o teatro e para as artes cénicas e o público mostrou que está a saber acolher esse movimento e isso é o mais importante”, destacou, no final do espectáculo, o encenador galego Moncho Rodriguez.
“Eu acredito que cultura e arte se fazem com o público e foram as pessoas de Cabeceiras de Basto que participaram nesta transformação cultural. As pessoas saíram felizes por verem a história da sua terra em cena e contribuíram para o reavivar da memória. Assim podemos crescer num futuro novo”, acrescentou o responsável pelo espectáculo.
Elogiando os elementos que deram vida à peça ‘Assim Sonhamos a Nossa História’, Moncho Rodriguez lançou o desafio aos actores locais: “continuem porque a transformação cultural de um povo faz-se todos os dias com o esforço de cada um”.
“Queria dedicar este espectáculo ao futuro”, afirmou o mesmo responsável.
Agradecendo a todos que colaboraram na realização da peça teatral, o Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto referiu que “este espectáculo, pela envolvência do público e pela sua qualidade, revela-nos que valeu a pena que a Câmara Municipal, através do Pelouro da Cultura, promovesse esta representação”.
De acordo com o autarca Eng.º Joaquim Barreto “é a pensar na nossa história que perspectivamos e definimos o futuro com cultura, paz e bem-estar sem esquecer a nossa identidade”. E rematou: “esse futuro com cultura é para os jovens e queremos que a República seja precisamente essa esperança num futuro melhor para todos”.
Para o Vereador do Pelouro da Cultura, Dr. Domingos Machado, “este espectáculo foi uma aposta ganha, não só pela mobilização das pessoas mas também pela riqueza da peça em si e pela importância de sublinhar os valores da República”.
“Estamos a viver o Centenário que faz parte da nossa matriz ideológica e seria de mau tom esquecer o passado porque ao esquecer o passado não estamos a prometer o futuro. A nossa vinculação com os valores da República ficaram bem expressos nesta peça, na sua temática, na sua interpretação e pelo facto se serem as crianças as principais protagonistas”, concluiu o Vereador da Cultura.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.