Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 04-10-2010

SECÇÃO: Informação

Cortejo Etnográfico surpreendente nas Festas de S. Miguel

Um magnífico cortejo etnográfico atraiu no dia 26 de Setembro, a Cabeceiras de Basto, milhares de forasteiros para ver passar ao logo das principais artérias da vila, dezenas de viaturas e centenas de pessoas provindas de todas as freguesias para mostrar os usos e os costumes mais genuínos desta terra de Basto.

Alunos do Centro Hípico abriram o Cortejo
Alunos do Centro Hípico abriram o Cortejo
Apresentando outros olhares sobre o património concelhio, o cortejo exibiu quadros cénicos representativos das profissões, do património, das actividades agrícolas como são as vindimas, as lavradas, as desfolhadas, as malhadas, entre outros painéis alusivos ao artesanto, ao folclore e às tradições. Os ciclos do linho e da lã, a exploração do volfrâmio, a levada de víbora, a antiga estação de caminhos de ferro do Arco de Baúlhe, a Fundação A J Gomes da Cunha, a lenda de Santa Senhorinha, a cestaria, a romaria de S. Bartolomeu de Cavez, a ponte romana de Painzela, D. Nuno Álvarez Pereira de Pedraça, a lenda do Basto, as tradicionais chegas de bois com maior predominância nas zonas serranas do concelho, como a freguesia de Riodouro, entre outros fizeram igualmente parte deste grandioso cortejo etnográfico, que desfilou ao toque de dezenas de concertinas, cavaquinhos e acordeões, enchendo de entusiasmo e alegria esta vila cabeceirense.
Arco de Baúlhe
Arco de Baúlhe
Usos e costumes de outrora, produtos e potencialidade locais, foram assim, exaltados neste cortejo que tem como objectivo promover e divulgar a cultura popular e etnográfica desta terra de Basto.
Milhares de pessoas assistiram ao cortejo


Centenas de pessoas foram ao longo dos últimos meses mobilizadas para construir e ornamentar os carros alegóricos, bem como participar nos mesmos dando corpo a um cortejo absolutamente renovador onde a criatividade, a inovação no tratamento dos temas apresentados surpreenderam a multidão que se posicionou ao longo do trajecto.
Cabeceiras de Basto (S. Nicolau)
Cabeceiras de Basto (S. Nicolau)
De referir que este cortejo resulta de um intenso trabalho de preparação, que implicou a realização de reuniões em todas as freguesias, quer com as autaquias locais, quer com as associações, quer com as populações, onde estiveram presentes reponsáveis da organização das festas de S. Miguel, o director e encenador Moncho Rodriguez, diversos escultores e artistas.
Abadim
Abadim
Este cortejo etnográfico, marcado por uma forte componente cénica, emerge também de um trabalho de transformação cultural que tem sido levado a cabo nos últimos meses neste concelho, com a criação do Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto. Uma iniciativa que tem vindo a agregar diversos agentes e população local em torno de oficinas de teatro, de escultura, de movimento e de expressão, que tem registado o agrado e grande adesão por parte de crianças, jovens, adultos e idosos, onde todos podem participar e dar o seu contributo. Um projecto que resulta igualmente de uma parceria encetada entre este Município de Cabeceiras de Basto e o Centro de Criatividade da Póvoa de Lanhoso.
Basto (Santa Senhorinha)
Basto (Santa Senhorinha)

Cavez
Cavez

Alvite
Alvite

Bucos
Bucos

Faia
Faia

Gondiães
Gondiães

Outeiro
Outeiro

Painzela
Painzela

Passos
Passos

Refojos de Basto
Refojos de Basto

Refojos de Basto
Refojos de Basto

Refojos de Basto
Refojos de Basto

Pedraça
Pedraça

Riodouro
Riodouro

Vila Nune
Vila Nune

Vilar de Cunhas
Vilar de Cunhas

Refojos de Basto
Refojos de Basto



















































© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.