Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 13-09-2010

SECÇÃO: Informação

O último Adeus a “Pedro Pires”

foto
“…os seus colegas foram buscá-lo a casa e trouxeram-no ao Quartel dos Bombeiros e, o “Pedro” sorriu, por estar na casa que mais gostava…”

a) Comandante Luciano Reis

Dois meses após a sua morte, o espírito do “Pedro” continua vivo entre nós, que nunca esqueceremos a lealdade, a disponibilidade, a qualidade e a camaradagem, que emprestou em vida à nossa Corporação.
A saudade que nos legou, é a herança que dele herdamos.
Desde muito jovem que começou a frequentar o Quartel, onde tinha em cada elemento do Corpo de Bombeiros, um amigo.
Mas, foi só em 2 007, já com 26 anos de idade, que o “Pedro” se incorporou nas fileiras de voluntariado dos Bombeiros Voluntários de Mondim de Basto.
Na sua curta passagem pelos Bombeiros, teve tempo mais que suficiente para se afirmar como voluntário e de nos deixar uma grande lição de sofrimento, coragem e valor pela vida. O seu exemplo, deixou-nos mais unidos, mais fortes e mais solidários.
Enquanto serviu esta instituição, mostrou sempre excelentes qualidades morais e profissionais, desempenhando com eficácia todas as missões que lhe eram confiadas, revelando grande aptidão para servir a nobre causa dos Bombeiros.
foto
O “Pedro” de estatura franzina e bastante debilitado pela doença que o viria a vitimar, conseguia arranjar sempre motivação e força para ajudar os outros, porque só assim é que se sentia bem.
Já depois de ter sido internado várias vezes no Hospital de S. João, onde viria a falecer, quando regressava a casa para continuar com o tratamento médico, passava sempre pela sua “segunda casa”, - o quartel dos Bombeiros – dizia, para ajudar alguém que precisasse dele.
Que grande homem este…que grande exemplo de servir…
O “Pedro” queria muito ser Bombeiro Voluntário e ansiava por essa oportunidade de ser promovido. Mas, o seu estado de saúde que se agravava dia-a-dia, traiu-o.
Poucos dias antes de ser internado pela última vez, pediu para que o levassem ao Quartel dos Bombeiros.
Os seus colegas, fizeram-lhe a sua última vontade e foram buscá-lo a casa, para conviver mais algum tempo na companhia dos seus camaradas de voluntariado e, o “Pedro” sorriu, por estar na casa que mais gostava,
O “Pedro” partiu sem ser promovido a Bombeiro.
Foi Deus que lhe quis fazer a melhor promoção ao integrá-lo nas sua fileiras.
Aqueles de quem gostamos muito nunca morrem…apenas partem antes de nós. Companheiro “Pedro”, tu que tanto lutaste contra a morte não a conseguiste vencer. Tu que lutaste contra os fogos, dia e noite, socorreste com grande abnegação e coragem os doentes e sinistrados que precisaram de ti… tudo venceste, menos a morte.

Por: José Teixeira da Silva

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.