Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 23-08-2010

SECÇÃO: Informação

‘Mulheres de Bucos’ apresentam projecto inovador

O vereador da Cultura da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Dr. Domingos Machado, apresentou no dia 7 de Agosto, no decurso da Festa das Comunidades e dos Produtos Locais, o projecto ‘Mulheres de Bucos’.

Algumas peças confeccionadas em lã
Algumas peças confeccionadas em lã
Trata-se de um projecto inovador, que vem sendo desenvolvido de alguns meses a esta parte na freguesia de Bucos, deste concelho, onde o trabalho da lã teima em persistir, ainda que já não haja pisões para pisoar a lã, já não se façam capuchas nem «bicas» de manteiga, mas onde as mulheres continuam a fazer mantas, meias e outros artefactos que conquistam a atenção dos forasteiros.
De referir que este projecto liderado por uma dezena de mulheres, tem contado com o apoio da Junta de Freguesia de Bucos e com o apoio da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, que têm vindo a incentivar o trabalho da lã. Na sede da Junta existem teares, lã e espaço para o convívio de dez mulheres, que, por gosto, se reúnem todas as 5.as feiras à tarde, para pôr a conversa em dia e para se dedicarem à lã e às diferentes e laboriosas tarefas que a mesma implica, tais como lavar, secar, esguedelhar, cardar, emanelar, fiar, ensarilhar, dobar, encher canelas, tecer e tricotar.
Agora reunidas as ‘Mulheres de Bucos’, mais precisamente, Ilídia Oliveira, Ana Francisca Pires, Maria Teresa Simões, Elisa Brás, Adelaide Fernandes, Ana Gomes Brás, Teresa de Jesus, Maria Simões, Maria Gonçalves e Maria da Conceição Ramalho, sob a coordenação da Drª Isabel Fernandes, com o apoio da Junta de freguesia de Bucos e da Emunibasto, pretendem conferir contemporaneidade às peças que hábil e artesanalmente confeccionam, dando o salto em frente e diversificando a sua produção.
O Vereador, Dr. Domingos apresentou o projecto
O Vereador, Dr. Domingos apresentou o projecto

Autarquia lança “olhar” contemporâneo sobre o artesanto em lã

Neste âmbito, e tendo em vista trazer a contemporaneidade a estes trabalhos ancestrais que urge preservar, o município convidou a estilista Helena Cardoso a colaborar com estas mulheres propondo-lhes a realização de peças originais, algumas das quais se encontram expostas neste certame.
Na mesma linha de actuação entendeu a autarquia convidar jovens estudantes da Escola de Belas Artes do Porto, mais precisamente João Gigante, Miguel Arieira, Ana Castro, Susana Lage e Fábio Santos, desafiando-os a filmar e a fotografar as mulheres de Bucos e as suas tarefas em torno da lã. O resultado desse trabalho deu origem ao vídeo que ontem foi apresentado publicamente, mas também a uma exposição de fotografias que apresentada no stand que as ‘Mulheres de Bucos’ prepararam para esta Festa das Comunidades e dos Produtos Locais.
No âmbito deste projecto, entendeu-se por bem, criar um nome e um logótipo para os trabalhos que estas mulheres desenvolvem. O nome por si escolhido foi – Novelo de lã - e o logótipo foi criado pela empresa Elástico Design. De referir que o trabalho da lã em Bucos é um projecto que está no seu início, mas é já agregador de um grande número de pessoas e algumas instituições, que com o seu apoio pretendem manter vivas as tradições e os usos desta gente de Basto, esperando que o mesmo venha a dar frutos brevemente.

Mulheres guardiãs de saberes ancestrais

A coordenadora, Drª Isabel Fernandes apresentou o stand das "Mulheres de Bucos"
A coordenadora, Drª Isabel Fernandes apresentou o stand das "Mulheres de Bucos"
Na oportunidade e após uma breve alocução feita pelo vereador da Cultura, Dr. Domingos Machado e a apresentação do projecto pela Drª Isabel Fernandes, o edil Cabeceirense, Engº Joaquim Barreto, emotivamente disse tratar-se de um grupo de mulheres persistentes, guardiãs de saberes transmitidos ao longo de gerações, cujo trabalho em torno da lã defendem e procuram a todo o tempo valorizar e promover. O autarca manifestou o seu agrado pelo trabalho desenvolvido pelo Vereador Dr. Domingos Machado conjuntamente com a Drª Isabel Fernandes, que em boa hora aceitou colaborar neste projecto defensor desta tradição cabeceirense. O Presidente da edilidade disse ainda que este é um projecto que orgulha o Município, que enaltece esta secular arte de trabalhar e transformar a lã, que sob um olhar contemporâneo virá certamente a frutificar no campo económico, cultural e social. Este é um projecto assente em muito voluntariado, que o Município não deixará de continuar a apoiar, concluíu o autarca.


© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.