Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 21-06-2010

SECÇÃO: Opinião

O Mar

O mar misterioso e profundo
Por ti passaram naus e caravelas
O lusitano foi o primeiro, o melhor do mundo
Só precisou de vento e d’içar velas

O mar severo e matreiro
Nas ondas tens a fúria escondida
A gente que chora, és traiçoeiro
Na tua água à muita lágrima caída

O mar cruel, jamais vencido
Nas trevas arrebenta a tempestade
Nem um ai, um grito nem um gemido
De nada, de ninguém tens piedade

O mar que a minha vista não alcança
Perde-se na tua deslumbrante imensidão
Faz com que o sorriso, puro e inocente de criança
Não encontre amargura, a tristeza e a solidão

O mar salgado, vestido de bruma
A natureza oculta em ti o segredo
As tuas ondas de fantasia e espuma
Transmitem a raiva, a ira e o medo

O mar que tens a terra em teus braços
As tuas águas onduladas, o teu zoar
A brisa traz o eco e os pedaços
Dos corações que continuas a atraiçoar.

F.C.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.