Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-05-2010

SECÇÃO: Em Foco

Câmara de Cabeceiras de Basto lança Respostas Sociais
DESEMPREGO UM DRAMA QUE EXIGE ATENÇÃO ESPECIAL

Na sequência de um estudo recentemente publicado e mandado realizar por um jornal nacional que mostrou resultados francamente negativos ao nível do emprego no concelho de Cabeceiras de Basto, o Ecos de Basto foi à procura de justificações e também das respostas que têm sido dadas para minimizar as dificuldades provocadas pela situação de desemprego de cerca de 1.397 pessoas inscritas no Centro de Emprego, em Abril do corrente ano.
No que diz respeito ao referido estudo, importa dizer que os números apresentados não correspondem com exactidão aos dados oficiais, quer do IEFP quer do INE, pelo que poderão por isso mesmo pecar por alguma falta de rigor.

Presidente da Câmara visita obras no Parque Empresarial de Vila Nune
Presidente da Câmara visita obras no Parque Empresarial de Vila Nune
Em todo o caso, importa também dizer que a subida do desemprego no concelho de Cabeceiras de Basto segue a tendência de subida nacional que se nota igualmente na maioria dos concelhos vizinhos.
Verifica-se também que no mês de Abril, último com dados conhecidos, em Cabeceiras de Basto houve uma ligeira diminuição de desempregados inscritos no Centro de Emprego tal como mostramos em caixa ao lado, o que é uma nota positiva neste quadro de generalização de subida de desemprego.

Parques Empresariais

No concelho de Cabeceiras de Basto, tal como noticiámos na página 3 desta edição, a autarquia aposta fortemente na criação de espaços dotados de todas as infra-estruturas para atrair investimentos. Como lá se refere, são vários os Parques Empresariais em execução e outros em perspectiva de instalação. E um dos dados mais interessantes é saber que, em pouco mais de três meses, os 16 lotes do Parque Empresarial de Vila Nune foram todos vendidos. E não se pense que poderemos estar perante compras oportunistas, ou seja de alguém que adquiriu a baixo preço para mais tarde os revender a outros interessados por valores superiores. Segundo fonte da autarquia a aquisição de lotes implica a instalação de empresas no espaço de dois anos e impede a sua transacção pura e simples. Por isso, facilmente se percebe que estas aquisições foram efectuadas por empresários com intenção de se instalarem rapidamente em Vila Nune. Tanto quanto pudemos apurar vão ali instalar-se diversas indústrias do sector das madeiras, da construção civil e serralharia, da alimentação e bebidas, da produção de cogumelos e alguns armazéns, perspectivando-se a criação de algumas dezenas de novos postos de trabalho. Ora, esta é uma boa notícia para Cabeceiras de Basto e para os Cabeceirenses.

Gabinete de Apoio ao Investidor

A par da construção destes novos espaços para a instalação de empresas, a autarquia disponibiliza, através de um Gabinete de Apoio ao Investidor, um serviço de informação, aconselhamento, encaminhamento, acompanhamento e apoio a novos e potenciais investidores, sendo que deste trabalho já resultaram a criação de algumas empresas com sede em Cabeceiras de Basto.

Basto Investe

Criado em 2006 com o intuito de conceder apoio a empresas de pequena dimensão, com actividade essencialmente local relevante para o desenvolvimento económico do concelho, bem como para apoiar pessoas que se encontrem desempregadas e que queiram criar o seu próprio emprego, complementando desta forma os apoios concedidos pelo IEFP, o Basto Investe é um fundo constituído com montantes do Banco Espírito Santo e ainda fundos da própria Câmara Municipal. Pretende financiar iniciativas empresariais reconhecidas como socialmente meritórias, economicamente sustentáveis e que revelem potencial desenvolvimento. As informações sobre a sua concessão estão disponíveis no Gabinete de Apoio ao Investidor.

Gabinete de Inserção Social e Profissional

Depois de durante vários anos a autarquia ter dinamizado uma UNIVA – Unidade de Inserção na Vida Activa, que só no último ano fez 347 atendimentos de que resultaram 58 encaminhamentos para formação profissional ou outra, 17 colocações em estágios e 79 colocações de emprego, agora que esta Unidade acabou, a autarquia garante a continuidade deste trabalho, através do Gabinete de Inserção Social e Profissional, que mantém contacto com os potenciais interessados, quer seja na procura de emprego, quer seja na procura de colocação ao nível da formação académica, profissional ou outra. Com efeito, os contactos deste Gabinete com os empresários, com os organismos públicos, com o próprio Centro de Emprego ou o Exército, tem permitido aconselhar e encaminhar muitas pessoas que procuram solução para os seus casos. De referir o importante trabalho feito pela autarquia ao abrigo de um protocolo de colaboração celebrado com o Exército Português para o recrutamento de jovens voluntários de ambos os sexos. Uma oportunidade magnífica, numa altura em que o Exército precisa de voluntários e os nossos jovens precisam de encontrar uma solução de emprego ou estudo.

Formação Profissional

Ao longo dos últimos anos muita tem sido a formação profissional promovida em Cabeceiras de Basto pelos Centros de Formação Profissional do IEFP, com a colaboração de Emunibasto e da Câmara Municipal, mas também promovida por algumas outras instituições. No que diz respeito às acções promovidas através da autarquia estão no momento em curso dez acções envolvendo mais de cento e cinquenta formandos, sessenta jovens e noventa adultos. Esta tem sido uma boa resposta na medida em que proporciona a dupla certificação aos formandos. Certificação escolar e profissional que abre mais portas à colocação no mundo do trabalho. Esta oportunidade de formação revela-se muito importante neste tempo de menor oferta de emprego, uma vez que possibilita a valorização pessoal dos formandos. Criado no ano passado, o Pólo de Formação Profissional de Cabeceiras de Basto, da responsabilidade do Instituto do Emprego e Formação Profissional, está em fase de instalação na Escola Tecnológica de Lameiros. Está assim garantida a continuação das acções de formação que se revelarem importantes não só para a população Cabeceirense mas também para as populações dos restantes concelhos das Terras de Basto.

Apoio Social

A autarquia Cabeceirense tem procurado encontrar respostas de apoio social promovendo, através de serviços de proximidade, um conhecimento das situações de carência que identifiquem necessidades e soluções para minimizar as dificuldades. Através do Banco Local do Voluntariado, da Loja Social dinamizada por este Banco, mas também em colaboração com a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens a autarquia tem apoiado inúmeras famílias, seja com a distribuição de bens alimentares, vestuário ou outros, seja com a atribuição de bolsas de estudo, seja ainda através de outros apoios, nomeadamente do apoio jurídico proporcionado por Gabinete próprio instalado para o efeito.
Por isso, a Loja Social, o Gabinete de Apoio Jurídico, o Centro de Orientação Vocacional e Profissional e o recentemente criado Gabinete de Apoio à Família de que vos falamos aqui ao lado, são respostas que visam ir ao encontro das necessidades sentidas de apoio aos cidadãos em situação de maior vulnerabilidade.
Por fim referir que em contacto com alguns empresários também se nota alguma perplexidade da parte destes, no que diz respeito à procura de emprego, uma vez que perante o anúncio de oferta são poucos os que respondem e quando respondem são poucos os que aceitam o emprego proposto. A merecer uma boa reflexão!

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.