Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 10-05-2010

SECÇÃO: Informação

No dia 14 de Maio
Centro de Teatro de Cabeceiras de Basto Apresenta espectáculo VIRA VIDA

O Centro de Teatro de Cabeceiras de Basto apresenta ao público no próximo dia 14 de Maio, a partir das 21h00m, na Praça do Mercado, o espectáulo Vira Vida. Trata-se de uma mega produção artística de memória, luz e som, que contará com a presença de dezenas de artistas, cantores e figurantes Cabeceirenses que “sobem ao palco” para mostrar os seus dotes artísticos.
Trata-se de uma peça que remonta à década de 40 / 50, a uma pequena vila de Portugal na região Norte, onde um grupo de jovens sonhava as fantasias de um futuro incentivados pelos filmes que viam. O cinema improvisado acontecia ao ar livre, quando pela vila passava um empresário do Porto com sua máquina fantástica de cinema. Os filmes de Vasco Santana e Ribeirinho, e outras comédias musicais, dramas que revelavam os amores impossíveis, as paixões de jovens de diferentes classes sociais, onde, subtilmente, Portugal das diferenças sociais se mostrava como em pequenos cartões postais. Se nas películas tudo podia ser possível e, aquelas personagens, que pareciam tão reais, acabavam sempre por realizar os seus sonhos, mesmo que tudo acontecesse numa outra paisagem, na da capital, Lisboa, eles, os jovens desta vila imaginada, transportavam-se para o sonho das películas, contagiados pela fantasia, sonhavam um futuro onde todos seriam grandes artistas.
Todas as noites, quando a alma dos candeeiros de petróleo perdia a força esmorecendo a luz nas ruas, eles reuniam-se para ensaiar aquele que seria o grande espectáculo: VIRA VIDA. Um musical inspirado nas películas e que mostrava o sonho, a vontade, a fantasia, o desejo e as contradições de cada um. O VIRA VIDA, aos poucos construía-se incorporando os conflitos, os dramas, os amores e as paixões daqueles que o interpretavam. Misturava realidade e fantasia. Nunca conseguiam chegar ao final de um quadro, os ensaios eram sempre interrompidos pela interferência dos conflitos da realidade.
Cada um desses jovens mostrava no espectáculo o seu sonho: O poeta, que escrevia os textos, o músico que preparava as canções, a cantora, a bailarina, a actriz, o actor, o pintor que concebia adereços, figurinos... Como se todos estivessem sem saber a sonhar e ensaiar um futuro, este que agora vivemos.
As transições do passado e o contacto com o novo, o universo do rural, de um Portugal distante da modernidade, que se assombra com as coisas novas que vem de fora, acontecem com as visitas dos emigrantes que todos os anos voltam a terra carregados de coisas novas. As roupas de marca, o chocolate, outros comportamentos e novos costumes. A bicicleta, a mota, as meias de vidro, os óculos de sol, os discos de vinil, as novelas de rádio, os anúncios publicitários...

Espectáculo com diferentes linguagens

Esta produção é um espectáculo que mistura diferentes linguagens: Cinema – Teatro – Dança – Música – Canto. Mistura as expressões da tradição (rezas, ladainhas, procissões, cantos de trabalho, cantigas de festa e bailes, e outras) com linguagens de expressões contemporâneas. Percorre os caminhos dos grandes musicais e da clássica revista portuguesa. Celebrações onde do popular é arrancado o gesto que sintetiza um novo imaginário, do fabuloso onírico a subversão da realidade como caminho para o entendimento de uma identidade.

Uma celebração teatral para festejar o imaginário de um povo: VIRA VIDA

Este é um projecto de celebração teatral. Um espectáculo dentro do conceito de “teatro de celebração”, que percorre o imaginário da memória das gentes destas terras do Norte de Portugal. Celebração porque reúne na sua encenação não só actores profissionais mas também, actores amadores, bailarinos populares, bailarinos clássicos e contemporâneos, cantores e grupos corais, músicos e Bandas Filarmónicas, Fanfarras, grupos de concertinas. – Celebração porque a temática ao estar tão próxima da memória das pessoas, permite que o espectador possa festejar junto com o actor e as personagens cada uma das cenas como se as conhecessem.
Este espectáculo, VIRA VIDA, pretende ainda circular em quatro dos Municípios parceiros deste projecto: Boticas, Montalegre, Fafe e Cabeceiras de Basto. Em cada uma das localidades receberá o apoio e a participação das associações artísticas locais que replicam o roteiro criado e estabelecido como dramaturgia do espectáculo ao mesmo tempo que incorporam alguns elementos particulares de cada local.
Trata-se de uma grande produção musical, onde o recurso dos audiovisuais, cinema e vídeo, misturam-se projectando cenários virtuais.
A dramaturgia pretende construir com ficção o imaginário da vontade de transformação de um povo, gentes do mundo rural que aos poucos foram contaminados pela urbanidade e costumes modernos. Conta como os jovens dessa vila rural criaram através dos seus sonhos a transformação que tanto se aproxima do futuro que hoje aqui se vive. Um espectáculo divertido, emotivo, festivo, para o qual estão todos convidados a assistir. A entrada é livre e esta é uma iniciativa apoiada pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto e pela Emunibasto.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.